«Desde o início que a ideia era criar uma equipa sólida com vista à próxima temporada. Pretendemos chegar à Premier League e o meu contrato não é só para esta época. Desde o primeiro dia que concordei com a reconstrução do QPR e a direcção está comigo», afirmou o ex-jogador.

Paulo Sousa é o quarto treinador nas mãos de Flavio Briatore, o dono do QPR desde 2007. Antes, Ian Dowie, John Gregory, Luigi De Canio e Gareth Ainsworth acabaram despedidos pelo magnata italiano. O português não está preocupado. «Isso não tem qualquer significado para mim. Como jogador sempre adorei desafios e acho que este é o maior desafio que posso encontrar enquanto treinador», disse o antigo médio, citado pela BBC. Sousa explicou porque se sente tão aliciado com este projecto: «É o meu primeiro desafio, mas também sinto que é o maior de todos os que poderei encontrar. Não tenho dúvidas de que vou conseguir vencer esta aposta».

Apesar da 11ª posição no Championship, fora das lutas nos play-offs de acesso à Premier, o treinador português mantém-se seguro da sua continuidade. O antigo bicampeão europeu confidenciou que «os donos compraram o clube há dois anos para o reconstruir». «A finalidade é atacar a Premier na terceira época, ou seja, na próxima. Acordámos isso ainda antes de eu assinar», relembra Paulo Sousa.

Esta época não está perdida, mas é em 2009/2010 que o Queens Park Rangers aposta forte. «A equipa está no meio da tabela e temos alguns jogadores importantes lesionados. O nosso objectivo é começar bem a próxima época, como o Wolverhampton fez este ano, e conseguir segurar o topo até ao fim. Este é apenas um momento de crescimento menos fácil», assegurou o ex-internacional.