Pedro Martins, treinador do Marítimo, depois do empate com o Nacional (2-2), no Estádio dos Barreiros, em jogo da 12ª jornada da Liga:

[Pontos perdidos nos últimos instantes] 

- Isto infelizmente tem acontecido com alguma frequência.  Jogos em que nós estamos a ganhar e acabamos por permitir que o adversário faça golo. É nesses momentos que nós não estamos a gerir o jogo, e, nessas fases, a partir do momento em que estamos com mais um elemento e estamos a vencer o jogo, temo que ser muito mais inteligentes para gerir o jogo, e não o fomos, o que acabou por premiar o Nacional, pelo golo que fez, não tirando o mérito, mas alguma ingenuidade da nossa parte.

 

[Sobre o jogo]

Temos que retificar e é trabalhando. Uma primeira parte em que o Nacional teve um ligeiro ascendente sobre nós, as oportunidades equivaleram-se, mas o Nacional também teve duas situações ou três em que podia ter feito golo. A segunda parte, penso que entramos melhor no jogo. O Nacional já não estava tão acutilante como foi na primeira parte. Antes da expulsão já estavamos a tomar conta do jogo, aconteceu a expulsão e quando tudo indicava que poderíamos partir para a vitória, não fomos, volto a frisar, por responsabilidade nossa e temos que retificar estas situações, porque a partir do momento em que estamos sempre a fazer golo e estamos logo a sofrer, não pode acontecer a este nível.

 

[Arbitragem]

- Houve erros de parte a parte. Acho que a análise e o critério foram sempre os mesmos. Há razões de queixa aqui e acolá mas nós também temos. No global, penso que o Hugo Miguel não tem influência no resultado e exibiu-se a um plano aceitável e positivo.