«Compreendo que é complicado sofrer um golo no último lance, mas é uma grande penalidade bem marcada, pois a bola foi cortada com a mão à frente do árbitro, que fez o que tinha de fazer. Foi um acto de coragem. Em nossa casa eles empataram da mesma forma e a bola também não foi ao centro, como hoje», afirmou Carlos Agostinho, treinador do Penalva do Castelo, em declarações à Agência Lusa.

III Divisão: resultados e classificaçõesSegundo o técnico, o invulgar tempo de compensação deveu-se a uma lesão no guardião do São João de Ver que esteve a ser assistido durante «11 ou 12 minutos». O árbitro da partida, João Carlos Silva, de Braga, teve dificuldades em sair do campo, uma vez que houve tentativa de invasão por parte dos adeptos.