Após 11 meses de investigação, a Federação descobriu que «em termos de apostas, algo não estava bem nas divisões inferiores». Na sequência destas dúvidas, a unidade de crimes financeiros «invadiu 15 casas e outros locais de prova», explicou a polícia checa.

A polícia informou ainda que trabalhou em cooperação com as autoridades da Eslováquia, sem explicar quem foram os detidos.