Uma volta depois de ter derrotado o Benfica no Algarve no jogo que acabou por ditar a saída de Rui Vitória do comando técnico das águias, o Portimonense vai à Luz defrontar a equipa agora treinada por Bruno Lage e que lidera o campeonato à entrada para as últimas três jornadas.

António Folha, treinador da equipa algarvia, garantiu que o contexto deste jogo é diferente daquele que se verificava em janeiro. «Não tem nada a ver o Portimonense da altura com o de agora, como não tem nada a ver o Benfica daquela altura com o de agora», começou por dizer, antes de aprofundar o assunto a propósito da evolução da equipa encarnada.

«O que mudou? Principalmente algumas peças que não jogavam em que agora são peças com muito destaque no Benfica. Trouxeram uma dinâmica, em termos ofensivos, que se aquilo estiver para aqueles dias bem-dispostos, é difícil de travar para qualquer equipa. O estado de espírito destes jogadores na altura em que defrontaram o Portimonense na primeira volta também não era o mesmo», apontou.

Apesar de reconhecer o bom momento da equipa treinada por Lage, Folha garantiu que o objetivo para a visita à Luz neste sábado é apenas um, não obstante as dificuldades que antevê. «São três pontos que estão em causa e o Portimonense luta da mesma forma por cada jogo. Vamos encontrar muitas dificuldades, muitas mesmo. Por culpa da competência do Benfica. E a nós cabe-nos cometer o mínimo de erros possíveis. É essa é a missa do António Folha quando fala com os seus jogadores. Não ter medo de perder, não ter medo de jogar e é assim que eu encaro e vou continuar a encarar a vida: sem medo», vincou.

O Portimonense soma 36 pontos na Liga e Folha ainda não dá a permanência na Liga como certa. Ainda assim, o técnico garante que não é por isso que este jogo tem uma importância maior. Vamos atrás de pontos, seja com o Benfica, em casa com o Marítimo ou em Braga. E mesmo que matematicamente já estivesse [n.d.r.: assegurada a permanência], íamos tentar fazer o máximo possível de pontos, porque é assim que temos de estar no futebol», rematou.