Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, em declarações na zona de entrevistas rápidas da Sport TV após o empate com Paços de Ferreira (0-0):

«O ponto é importante, é somar. A qualidade do adversário é inegável. Toda a gente tem visto o fantástico trabalho que o Pepa está a desenvolver. O Paços é uma equipa muito solidária e nós estávamos avisados de que tinham de ser tão ou mais solidários. E fomos. As equipas equivaleram-se na briga e por cada metro quando as condições não permitiam fazer mais bonito. Quando foi possível fazer mais bonito, foi feito: por uma e por outra equipa.

O meu amargo de boca é que temos as ocasiões. Merecíamos uma pontinha de sorte que nos tem faltado não só aqui. Tivemos o Dener na pequena área, o Bruno com uma boa que parou na lama, uma cabeçada muito bonita do Beto na primeira parte. Só para falar destas. Mas é um ponto importante e que valorizamos pela qualidade do nosso adversário.

É muito difícil fazer um resumo, mesmo sintético, de tudo o que nos aconteceu até aqui. Mas acho que vamos fazer uma segunda volta mais adulta. Começámos o campeonato com muitos jovens que só tinham jogado nos sub-23. Hoje já têm mais alguns meses de primeira liga e a administração também nos deu mais três ou quatro soluções para nos tornarmos mais competitivos. Falava ainda há pouco com o Pepa que é notório que até a qualidade do treino melhora. E quando isso melhora, as coisas só podem correr melhor. Vim tranquilo para o jogo pelo que vi no treino ao longo da semana: isso deixou-me satisfeito e confiante. Agora, é preciso muita humildade e trabalho, porque o campeonato está muito embrulhado e vai ser uma luta titânica até à última jornada. Tudo isto deixa-nos mais positivos, mas é preciso fazer.»