O administrador dos «pompey», que atravessam uma grave crise financeira e estão sob administração financeira judicial, revelou que o clube tinha 166 funcionários a trabalhar em full-time e 154 em part-time.

Os responsáveis do Portsmouth estão a tentar reduzir ao máximo as despesas, para evitar a falência, pelo que estão a ser renegociados vários contratos. Para além disso, o administrador explicou que estão criadas as condições para facilitar uma possível venda do clube.

O Portsmouth está no último lugar da Premier League e vai ficar sem nove pontos, sanção prevista pela Liga inglesa para clubes que entrem em administração judicial.