O ex-internacional português e jogador de Sporting, Barcelona, Real Madrid e Inter de Milão, é, segundo o presidente dos parisienses Nasser Al-Khelaifi, a pessoa indicada, por ser uma figura conhecida no mundo do futebol.

Figo conta no seu palmarés com uma Liga dos Campeões (2002, Real Madrid), oito campeonatos em Espanha e Itália, uma final do Campeonato Europeu (2004), assim como uma Bola de Ouro em 2000 e o prémio Melhor Jogador do Mundo pela FIFA em 2001.

Para além destas distinções, outra característica-chave para a direção do PSG, é o facto de o português ser poliglota, o que lhe confere um perfil que se adapta ao posto de diretor desportivo, que é neste momento ocupado pelo diretor geral do clube, Jean-Cluade Blanc.

Figo, embaixador do Inter de Milão na Europa, não é a única solução. Curiosamente, o «plano B» do PSG passa por Pedro Pauleta, antiga glória dos parisienses, que entre 2003 e 2008 foi embaixador do clube. Ainda assim, segundo o diário francês, «o seu nome está por agora, atrás de Figo, para substituir Leonardo».