O PSG está na final da Liga dos Campeões com o Bayern de Munique e tem a hipótese de levantar em Lisboa um troféu que nunca venceu. Em entrevista à UEFA, Ángel Di María falou do significado de jogar esse encontro no Estádio da Luz.

«Seria muito especial, muito importante para mim e para a minha carreira. Tive uma sensação estranha quando mudaram o local dos jogos para Lisboa, pois fez-me recordar os bons momentos que vivi aqui durante três anos e como fui feliz em Lisboa durante esse período», disse o antigo jogador do Benfica.

Além das vivências em Portugal quando vestia a camisola da formação encarnada, Di Maria tem outra recordação importante da Luz. «Fui campeão europeu em 2014 com o Real Madrid neste estádio. Ter oportunidade de também jogar os quartos de final e as meias-finais no Estádio da Luz, para além da final, foi uma excelente combinação para mim: senti-me muito bem», frisou o internacional argentino, de 32 anos, que se mostra otimista nesta primeira final da Liga dos Campeões dos franceses.

«Sempre fiz parte de uma equipa incrível, desde o momento em que aqui cheguei [em 2015]. Tivemos grupos excelentes de jogadores, mas às vezes as coisas não funcionam por um motivo ou por outro. Desta vez, não só eu, mas todos neste clube, podem dizer que se vive um excelente ambiente, que se sente uma energia positiva entre todas as pessoas que trabalham no clube, os jogadores, a equipa técnica, a equipa médica, toda a gente», garantiu.

Esta temporada, o PSG venceu o campeonato, a Taça de França, a Taça da Liga e a Supertaça. «Estamos a um passo de terminar uma época incrível, mas é um passo difícil, porque o Bayern é um adversário muito forte. Tenho a certeza que será uma grande final», disse Di Maria, lembrando que os bávaros vão disputar a 11.ª final da prova.

«Não vai ser nada fácil. Eles têm jogadores muito experientes, jogadores que ganharam Campeonatos do Mundo, jogadores que estão habituados a estar a um nível muito elevado», apontou, frisando: «Mas nós também temos bons jogadores, o nosso sistema, a nossa forma de jogar e penso que temos um grupo que merece vencer a Champions League».

«Acho que chegou a hora», disse o argentino. «Se dermos o primeiro título ao Paris, ficaremos na história do clube. Seríamos recordados para sempre no clube, pois seria o primeiro título europeu. Ajudei a ganhar o décimo título do Real Madrid, que o clube tentou durante muitos anos. Conquistar o décimo título foi algo incrível para o Real e a verdade é que passei a fazer parte da história do clube. Ganhar o primeiro título aqui seria inesquecível para mim, pois esse é o meu objectivo desde que aqui cheguei.»