«Foi uma partida fantástica e uma noite agitada de comemorações, mas o grupo foi, depois, avisado que não havia mais lugar a festas, porque ainda não ganhámos nada. Todos querem jogar na final, mas quem tirar o pé não estará lá no dia 31», garantiu o treinador do P. Ferreira, este sábado, por ocasião da conferência de imprensa que antecede a recepção à Académica, relativa à 26ª jornada.

«Se pudermos ser nonos, não vamos querer ser décimos. O V. Guimarães e a Académica estão à nossa frente e temos de pensar que podemos alcançá-los até ao final, na certeza de que, quanto mais rápido definirmos a nossa situação, mais depressa deixamos de dar esperança a quem está atrás de nós», defendeu, ainda, Paulo Sérgio, citado pela Agência Lusa.

O técnico gostaria, também, que o adversário de segunda-feira encontrasse uma Mata Real «bem emoldurada», até porque os dias maus já lá vão. «Felizmente, a direcção deu-nos grande confiança e nunca perdemos a convicção», considerou.

O P. Ferreira é décimo classificado, com 27 pontos, menos quatro que a Académica (8ª).