O «Standard», um jornal de Nairobi, publicou que os funcionários da Federação queniana terão de comprar réplicas das camisolas e calções da selecção. Esta terá sido a solução encontrada para substituir os três conjuntos de equipamentos e duas mil bolas de futebol que desapareceram.

O director técnico do Quénia, Patrick Naggi, explicou ao jornal que não existia tempo para encomendar os novos conjuntos aos patrocinadores. Logo a única solução será mesmo recorrer às lojas.