«Era o meu sonho», revelou Quim na apresentação, numa cerimónia retardada em duas horas, à espera da chegada do presidente do clube, Luís Filipe Vieira. O guarda-redes admitiu que, aos 28 anos, alcançou finalmente um objectivo antigo: «Há uns anos que já se falava que o Quim ia para aqui e para ali e afinal não ia. Estou muito feliz por representar o Benfica e haver acordo com o Sp. Braga.»

A propósito da concorrência com Moreira e Yannick, Quim diz que todos partem em igualdade: «Estou aqui para trabalhar e dar o melhor de mim. A concorrência é sempre importante e é boa para o Benfica. Os guarda-redes partem os três em pé de igualdade. Há um novo treinador e todos temos de demonstrar o nosso valor. Quero ser o nº 1 e vou trabalhar para isso.»

Confrontado com a possibilidade de ser suplente de Moreira, Quim não desarma: «A minha maneira de trabalhar é essa, trabalhar primeiro para ser titular. Isto foi o que sempre ambicionei, espero ajudar a conquistar muito êxitos. Sabia pelo que iria passar e da qualidade dos outros guarda-redes, mas vou trabalhar para dificultar a escolha do mister.»

Quim revelou que tomou conhecimento da transferência ontem, pela voz do presidente do Sp. Braga, e não teve ainda oportunidade para pensar em questões concretas, nomeadamente a possibilidade de ter a titularidade à vista se Moreira for para os Jogos Olímpicos em Agosto: «Não deu ainda tempo para pensar nisso.»

A perspectiva de jogar na Liga dos Campeões agrada a Quim, que não esquece também o campeonato como objectivo: «Em primeiro lugar quero trabalhar, tentar jogar e ser campeão nacional pelo Benfica. Quero representar o clube da melhor maneira e ir o mais longe possível na Liga dos Campeões.»

Por fim, Quim fez questão de agradecer «às pessoas do Sp. Braga», lembrando a relação afectiva com o clube que representou «desde os 13 anos», e dizendo que espera voltar um dia ao clube minhoto.

Luís Filipe Vieira fez apenas uma breve introdução antes de passar a palavra a Quim, dizendo que o Benfica decidiu reforçar-se numa posição em que a equipa revelava carências: «Queremos estar bem preparados e sabíamos que estávamos débeis nessa posição.»