«Sim, porque se fazemos melhor [que no último campeonato] é porque temos melhores registos, mas o que tivemos de fazer para ser melhores é muito mais do que podem ver. Há gente talentosa, que já estava no Benfica, que desenvolveu o seu talento com o hábito de trabalho. E se há jogadores que se valorizaram esta época, que despertaram o interesse de muitas equipas, é porque a dinâmica é boa. Um resultado pode mudar uma emoção, mas não uma realidade», defendeu o técnico espanhol, este sábado, no Seixal, em conferência de imprensa.

Mas o terceiro posto já não permite, como na época passada, disputar a qualificação para a Liga dos Campeões, pelo que Quique Flores acredita que os encarnados não vão ficar por aqui. «Podem acontecer muitas coisas até ao final da época e estou convencido que o Benfica vai ter oportunidade de voltar a sonhar com o título», perspectivou, realçando que é importante «continuar no pelotão da frente», mantendo a proximidade para F.C. Porto e Sporting.

Quique Flores lamentou, ainda, que se questione a sua continuidade no Benfica, sobretudo depois da derrota com o V. Guimarães. «Estou feliz em Lisboa. Mas comigo há um desamor que não compreendo. Quando ganhávamos com frequência, havia um certo medo que pudesse ir para outra equipa e, depois, quando perdemos, como aconteceu com o Vitória, já querem que saia. Então o que queremos? Ou têm medo que me vá ou tenho de ir. Temos de ser mais coerentes e pensar se este treinador trabalha bem ou não, se é sério ou não... Se sim, então não há motivo para dúvidas.»

O treinador do Benfica também não gosta de olhar para as primeiras páginas dos jornais e ver nomes de potenciais reforços. «Estamos numa fase em que as informações são como as flores na Primavera, sempre a desabrochar. Temos de ser pacientes. Como treinador, afecta-me, pelos meus jogadores. É informação incorrecta, já que o treinador e o director desportivo não falaram de posições. Esta semana foi a vez dos guarda-redes. Não gostei, porque Quim, Moreira e Moretto são os únicos guarda-redes válidos e os únicos que temos para a época que vem. Ainda faltam muitas jornadas e este não é momento para reflectir sobre o plantel.»

[Artigo actualizado]