Quique Flores, treinador do Benfica, considera que a equipa encarnada deixou boas indicações frente ao Leixões, em encontro referente à 20ª jornada da Liga 2008/09:

«No primeiro tempo houve boas jogadas, boas combinações, mas não penso que tenha sido a melhor exibição do Benfica na primeira parte. Já fizemos jogos mais intensos esta época. Gostei da dinâmica, nas alas tinha dois jogadores muito habilidosos, enquanto o Amorim estava sempre próximo da bola. Acabámos por perder o Amorim, mas também Carlos Martins tentou seguir esse caminho.»

Sobre a confusão no final: «Somos técnicos com carácter e temos de defender os nossos jogadores. Vivemos o jogo com muita intensidade. Ele sabe o que o Benfica não faz anti-jogo. Queríamos vencer, lutámos muito para o conseguir, mas em nenhum momento o Benfica perdeu tempo de forma abusiva, como muitas equipas já o fizeram contra o Benfica.»

Sobre a importância da vitória: «Temos de fazer o máximo de pontos possível e colocar o máximo de pressão sobre os adversários. Temos de manter a esperança entre os adeptos e a equipa. Acabámos com o Nuno Gomes como médio esquerdo, Aimar a jogar como médio-centro, Cardozo a jogar noventa minutos como há muito não fazia. O jogo dos adeptos foi perfeito. Com dez jogadores, eles foram o décimo primeiro. Foi importantíssimo.»

Sobre o cartão amarelo para Carlos Martins: «Não entendi nada, ver um cartão amarelo para um jogador que acaba de entrar. Ainda por cima, para um jogador da posição dele, podia ser uma condicionante. Mas ele teve a atitude certa.»

Sobre Nuno Gomes: «Nuno Gomes é um homem muito inteligente, é difícil valorizar um jogador pelo desempenho numa partida, mas o Nuno sabe que a equipa técnica está muito satisfeita com ele.»

Sobre a ausência de Sidnei: Quando fazemos as convocatórias, sabemos quem vai jogar. Temos Katsouranis e David Luiz, que também podíamos jogar a centrais, surgindo como alternativas a Luisão e Miguel Vítor, que escolhemos para jogar. Não passa nada com Sidnei, tem 19 anos. Quando não joga ele, joga Miguel Vítor e isso é uma grande alegria para o Benfica. Às vezes, parece que não são tão valorizados os jogadores da casa. Acontece o mesmo em Espanha.

Sobre o clássico: «Amanhã? Não tenho preferências, apenas sei que F.C. Porto e Sporting não vão conseguir somar três pontos. Para nós, o mais importante era o Benfica vencer.»