Quando entrar em campo no Signal Iduna Park de Dortmund o Benfica não estará apenas a lutar pela permanência em prova na Liga dos Campeões: a equipa de Rui Vitória também terá a seu cargo as ténues esperanças de Portugal em manter a terceira equipa na Liga dos Campeões na temporada 2018/19. Por isso, se tivessem dotes de adivinhos, os adeptos do terceiro classificado da próxima edição da Liga - independentemente de quem venha ele a ser – também deveriam estar a roer as unhas e a sofrer por antecipação, a partir das 19.45 desta quarta-feira.

A situação das equipas portuguesas na UEFA, que já era difícil, ficou ainda mais complicada depois da derrota do FC Porto, em casa com a Juventus e dos pontos somados pelos representantes russos na Liga Europa – Rostov e Krasnodar, mais o Zenit, que apesar de eliminado venceu a segunda mão. O atraso da diferença do contingente português para o russo cifra-se agora em um ponto, o que obriga os dois representantes lusos ainda em prova a somarem, entre si, mais seis pontos do que os atingidos pelas equipas russas - visto que os pontos dividem pelo número de equipas participantes nas provas da UEFA no início da temporada.

Quatro primeiros do ranking ocupam metade das vagas na fase de grupos: o que muda no acesso à Champions a partir de 2018

Recorde-se que, de acordo com os parâmetros da UEFA, só os quinto e sexto classificados do ranking têm direito a incluir uma terceira equipa na Liga dos Campeões. O sétimo, que é a posição ocupada atualmente por Portugal, perde uma equipa, tendo direito apenas ao campeão nacional na fase de grupos e ao segundo classificado na terceira pré-eliminatória. O ranking em vigor determina os acessos a partir de 2018/19, o que significa, na prática, que a manter-se esta situação, o terceiro classificado do próximo campeonato terá apenas direito a uma de três vagas na Liga Europa. O terceiro da atual edição da Liga ainda tem acesso à Liga dos Campeões, mas tendo de superar duas rondas para lá chegar, a terceira pré-eliminatória e o play-off.

As probabilidades de Benfica e FC Porto seguirem em frente

Para evitar esse cenário é praticamente indispensável que o Benfica garanta o apuramento diante dos alemães – caso contrário, todas as fichas passam a estar na possibilidade de o FC Porto ir a Turim conquistar o apuramento diante da Juventus, com uma vitória por dois golos de diferença. Depois, ainda será preciso que Benfica e/ou FC Porto continuem a pontuar nos quartos de final para, também em função dos resultados de Rostov e Krasnodar, anularem o défice que nos separa dos russos.

  País 12/13 13/14 14/15 15/16 16/17 Total Equipas
1 Espanha 17.714 23.000 20.214 20.642 15.142 99.998 5/7
2 Alemanha 17.928 14.714 15.857 16.142 12.571 77.498 5/7
3 Inglaterra 16.428 16.785 13.571 13.375 12.357 73.391 4/7
4 Itália 14.416 14.166 19.000 11.500 11.916 70.998 3/6
5 França 11.750 8.500 10.916 11.083 11.750 53.999 3/6
6 Rússia 9.750 10.416 9.666 11.500 9.000 50.332 2/5
7 PORTUGAL 11.750 9.916 9.083 10.500 8.083 49.332 2/6
8 Ucrânia 9.500 7.833 10.000 9.000 5.500 42.633 0/5
9 Bélgica 6.500 6.400 9.600 7.400 10.100 40.000 3/5
10 Turquia 10.200 6.700 6.000 6.600 8.500 38.000 1/5

Sistema de cálculo: são consideradas as últimas cinco temporadas. Para cada uma, o total de pontos conseguidos pelas equipas (2 por vitória, 1 por empate, metade destes valores nas pré-eliminatórias) é dividido pelo total de equipas desse país que participam nas competições europeias do ano em causa. O acesso à ronda de grupos da Liga dos Campeões rende quatro pontos de bónus. A isto há que acrescentar cinco pontos de bónus por cada presença nos oitavos-de-final da Champions e, depois, nas duas provas, um ponto pelos quartos-de-final, meias-finais e outro ainda pela chegada à final.

Pior desempenho dos últimos anos, Benfica e FC Porto valem dois terços dos pontos

Um apuramento do Benfica na Alemanha seria, também, a derradeira possibilidade de o contingente português não ter nesta temporada 2016/17 o seu pior desempenho dos últimos oito anos em provas da UEFA. Até ao momento, os representantes lusos somam 8,083 pontos, um registo que só perde na comparação com o obtido na temporada 2008/09, quando Portugal fechou as contas com 6,785.

Nessa época, Portugal até teve duas equipas na fase a eliminar da Champions – Sporting e FC Porto, com os dragões a chegarem aos quartos de final – mas os pontos dividiam por sete equipas e não por seis. E as campanhas dos cinco representantes na Taça UEFA (Benfica, Sp. Braga, V. Guimarães, Marítimo e V. Setúbal) foram demasiado fracas para anular essa desvantagem.

Desta vez, que os pontos até dividem por seis, Benfica e FC Porto cumpriram os objetivos mínimos, chegando à fase a eliminar. Mas os contributos de Sporting, Sp. Braga, Rio Ave e Arouca foram demasiado fracos para evitar a perda de dois lugares no ranking: Portugal começou a época na quinta posição, à frente da França e da Rússia.

A realidade atual confirma uma tendência dos últimos anos: Benfica e FC Porto assumem a maior parte da despesa em termos de representação internacional: olhando para as últimas cinco temporadas, encarnados e dragões somaram dois terços dos pontos portugueses. O restante terço é dividido por onze clubes, com Sporting (ausente da Europa na temporada 2013/14) e Sp. Braga praticamente em pé de igualdade, cada um com um décimo do total.

Contributo das equipas portuguesas nas últimas cinco épocas:

Total de pontos: 49,332

Benfica: 17,000 (34,4%)

F.C. Porto: 15,416 (31,2%)

Sporting: 4,917 (10,0%)

Sp. Braga: 4,667 (9,5%)

Estoril: 1,750 (3,5%)

Marítimo: 1,333 (2,7%)

Belenenses: 1,166 (2,4%)

Rio Ave: 1,083 (2,2%)

Académica: 0,667 (1,4%)

V. Guimarães: 0,667 (1,4%)

P. Ferreira: 0,500 (1,0%)

Arouca: 0,167 (0,3%)

Nacional: 0

Época a época

2016/17

Total: 48,5 pontos a dividir por seis equipas (8,083)

FC Porto=18,5 (3,083)

Benfica=17 (2,833)

Sporting=6 (1)

Sp. Braga=5 (0,833)

Rio Ave=1 (0,167)

Arouca=1 (0,167)

2015/16

Total: 63 pontos a dividir por seis equipas (10,500)

Benfica= 22 (3,667)

Sp. Braga=15 (2,500)

FC Porto=11 (1,833)

Sporting=8 (1,333)

Belenenses=7 (1,167)

V. Guimarães=0

2014/15

Total: 54,5 pontos a dividir por seis equipas (9,083)

FC Porto = 27 (4,500)

Sporting= 10 (1,667)

Benfica= 8 (1,333)

Rio Ave=5,5 (0,917)

Estoril=4 (0,667)

Nacional=0

2013/14

Total: 59,5 pontos a dividir por seis equipas (9,917)

Benfica=29 (4,833)

FC Porto=16 (2,667)

Estoril=6,5 (1,083)

V. Guimarães=4 (0,667)

Paços de Ferreira=3 (0,500)

Sp. Braga=1 (0,167)

2012/13

Total: 70,5 pontos a dividir por seis equipas (11,750)

Benfica=26 (4,333)

FC Porto=20 (3,333)

Marítimo=8 (1,333)

Sp. Braga=7 (1,167)

Sporting=5,5 (0,917)

Académica=4 (0,667)