Sobre esse tema, Guerreiro garante que não há caso. «A imprensa sabia da minha lesão e o clube avisou a Federação na segunda-feira. Depois li na imprensa que daria prioridade a jogar pela França em vez de Portugal. Não é o caso, de todo. Sempre preferi Portugal», garantiu.

Foi Pedrinho, ex-Académica, seu companheiro de equipa no Lorient, que o alertou para a polémica que a sua ausência gerou.

«Vou ser claro: escolhi Portugal. É a minha escolha e ninguém, na minha família ou o meu empresário, tentou influenciar-me», insistiu.

Em relação à admiração pelo Benfica, Raphael Guerreiro explica que vem de criança: «O meu pai é adepto do Benfica e eu também. Um dos meus irmãos é do Sporting e o outro do FC Porto.»

«Jogar no Benfica deixaria-me feliz. Mas o sonho é jogar no Real Madrid. Quando se é jogador de futebol, não se pode ficar indiferente à história desse clube», referiu, sublinhando, contudo, a sua devoção ao Lorient.