«Acredito que, se o Ronaldo viesse para o Real, seria bem aceite. Pessoas que trabalharam com ele dizem que ele é bom rapaz. Aqueles com quem falei, e que o conhecem, dizem que é trabalhador e uma boa pessoa. Em teoria, não vejo motivos pelos quais ele poderia interferir na harmonia que existe no balneário», disse o capitão dos «merengues», em entrevista ao jornal inglês «The Times».

Nesta terça-feira o Real Madrid discute precisamente em Inglaterra a sua continuidade na Liga dos Campeões. A formação espanhola perdeu com o Liverpool, na primeira-mão (0-1), mas agora espera virar a eliminatória em Anfield. «Temos a perfeita noção daquilo que temos de fazer: marcar dois golos. Ficámos abatidos com a derrota, mas agora vamos ter as nossas oportunidades e não vamos desistir», disse Raúl. «Somos capazes de ganhar ao Liverpool em Anfield. Desde que chegou Juande Ramos que estamos mais disciplinados», acrescentou ainda.

Chelsea foi admirador, Inglaterra é paixão

Na entrevista ao «The Times», Raúl confessa ainda a sua admiração pelo futebol inglês. O internacional espanhol revela que ficou fascinado quando foi ver um jogo do amigo Fernando Morientes, quando este estava no Liverpool.

«É tão diferente: os cânticos, a aproximação ao estádio. Percorres um caminho cheio de casas e de repente lá está o estádio. Só dás por ele quando estás mesmo em cima dele. Os adeptos, o barulho, a paixão. A atmosfera é incrível. E era apenas um jogo da Premier League. Nem imagino como será na Liga dos Campeões», disse o avançado.

Raúl é uma bandeira do Real Madrid, clube que representou toda a carreira profissional, mas em tempos uma mudança para o futebol inglês esteve em cima da mesa: «Se me perguntarem que futebol eu gostaria de experimentar, eu digo o inglês. Mas sinto-me bem aqui, em casa. Há alguns anos o Chelsea falou com os meus empresários, mas naquela altura tudo o que eu queria era ficar em Madrid», contou Raúl.