explicado pelo administrador Fernando Gomes

Analisando ao pormenor o extenso documento, é possível encontrar por exemplo os valores pagos por dois jogadores que estão atualmente na equipa B dos dragões. Kayembe e Lichnovsky custaram, em conjunto,mais de quatro milhões de euros aos cofres portistas.

Kayembe chegou ao FC Porto no início da época passada. O extremo belga veio do Standard Liège e arrancou para uma temporada interessante na formação secundária. Viria a alinhar pela equipa principal na visita ao Olhanense (2-1), em maio, entrando ao intervalo.

Em junho, segundo o Relatório e Contas da SAD, os dragões compraram 85 por cento do seu passe à Danubio Finanzierungsleistungen und Marketing GMBH, uma entidade sediada em Viena (Áustria), por 2,615 milhões de euros.

Julen Lopetegui observou Kayembe nesta pré-temporada, levando o jogador para o estágio na Holanda. O belga tem atuado como lateral esquerdo nesta época, contabilizando 9 jogos pela equipa B.

Igor Lichnovsky, por seu turno, chegou ao FC Porto neste defeso. Os dragões pagaram 1,837 milhões de euros pelo defesa contratado ao Universidad de Chile.

Jogador com credenciais no seu país, o central foi igualmente chamado por Julen Lopetegui para o estágio em solo holandês, deixando boas indicações. Entretanto, rumou à equipa B e já contabiliza 11 jogos, tendo marcado nesta quarta-feira o seu primeiro golo, na visita ao D. Aves (0-3).

Contas feitas, a SAD azul e branca pagaram 4,452 milhões de euros pelos dois jovens que evoluem na formação secundária. Ainda não entraram nestas contas as aquisições mais sonantes, faltando igualmente a mais-valia gerada pelas transferências de Mangala e Defour, concluídas após 30 de junho. 

O Relatório e Contas menciona as vendas de jogadores como Otamendi, Fernando, Iturbe e Castro, concluídas no primeiro semeste de 2014.

No documento, a SAD do FC Porto faz ainda um ponto de situação sobre alguns processos em contencioso, envolvendo disputas com Marítimo (Pepe e Kléber), Sporting (João Moutinho) e Benfica (Miki Fèher). Aqui ficam as informações da Sociedade Anónima:

«i) Pepe – Marítimo da Madeira – Futebol SAD 

Em 14 de Outubro de 2010, a Marítimo da Madeira – Futebol, SAD (“Marítimo”) intentou uma acção declarativa contra a FC Porto, SAD junto da Comissão Arbitral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional reclamando um acerto no montante que lhe seria devido pela transferência do jogador Pepe para o Real Madrid no montante de, aproximadamente, 840.000 Euros, o qual inclui juros de mora. No dia 14 de Setembro de 2012 a Comissão Arbitral da LPFP julgou improcedente todos os pedidos do Marítimo absolvendo a FCP, SAD. Subsequentemente, a 17 de Outubro de 2012, o Marítimo apresentou recurso para o plenário da LPFP. Em Dezembro de 2013 o pedido de anulação da decisão do Plenário da Comissão Arbitral da LPFP intentado pela Marítimo Futebol SAD junto das Varas Cíveis do Porto foi julgado improcedente, desta decisão foi intentado recurso junto do Tribunal da Relação do Porto, por parte da Marítimo, SAD, encontrando-se o processo ainda a tramitar.

ii) Kléber – Marítimo da Madeira – Futebol SAD 

Em 18 de Outubro de 2011, a Marítimo da Madeira – Futebol, SAD (“Marítimo”) intentou uma acção declarativa contra a FC Porto, SAD junto da Comissão Arbitral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional reclamando um montante a título de “compensação por promoção ou valorização” do atleta Kléber Laube Pinheiro, tendo a mesma sido julgada improcedente. Posteriormente, a decisão foi anulada pelas varas cíveis do Porto a pedido do Marítimo e o recurso, da FC Porto, SAD, desta decisão de anulação foi julgada improcedente. O Conselho de Administração da Sociedade, bem como os seus consultores legais, entendem que a fundamentação considerada pelo Marítimo não é correcta, não estimando que do desfecho deste processo resultem quaisquer impactos materiais sobre as demonstrações financeiras anexas

iii) João Moutinho – Sporting 

Foi intentada pela Sporting Clube de Portugal, SAD, junto da Comissão Arbitral da LPFP uma acção declarativa de condenação respeitante ao contrato de cedência definitiva dos direitos desportivos relativo ao atleta João Filipe Iria Santos Moutinho, mediante a qual foi conferido à Sporting SAD o direito de receber 25% da mais-valia verificada em futura cedência do jogador a terceiro clube. A 17 de Setembro de 2014 a Comissão Arbitral da LPFP notificou a FCP, SAD do acórdão relativo a este processo no qual condenou a Sociedade ao pagamento, ao Sporting Clube de Portugal, SAD, de 658.047 Euros acrescido de juros de mora. O Conselho de Administração da Sociedade, bem como os seus consultores legais, entendem que a fundamentação considerada pelo Sporting não é correcta, pelo que apresentaram recurso da decisão, não estimando que do desfecho deste processo resultem quaisquer impactos materiais sobre as demonstrações financeiras anexas.

iv) Feher – Sport Lisboa e Benfica, SAD (SLB, SAD) 

Na sequência da execução da decisão arbitral proferida pela Comissão Arbitral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, a FCP SAD recebeu do SLB SAD, em Fevereiro de 2014, o valor de 913.655 Euros relativo a um processo judicial intentado pela FCP SAD contra o SLB SAD em 2002, decorrente da contratação pelo SLB do jogador Miklos Feher, tendo este valor sido reconhecido como proveito do exercício (Nota 23). Em 19 de Junho de 2014 foi proferido acórdão pelo Tribunal da Relação do Porto que decidiu julgar improcedente o recurso apresentado pela SLB, SAD relativamente a este processo, confirmando a decisão tomada pela Comissão Arbitral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. Em 8 de Setembro de 2014, a SLB, SAD apresentou recurso no Supremo Tribunal de Justiça, estando a decorrer o prazo para a apresentação de contra-alegações.»