hippies



«O clube começou em 1982, quando um bando de hippies decidiu que queria começar a jogar futebol. Primeiramente por brincadeira, mas mais tarde, com o gosto que ganharam pelo desporto e pela equipa, quiseram inscrever-se na Federação local»Maisfutebol.


O início do CSC na década de 80 (Foto: Facebook Christiania)

«Ligam-me vários jornalistas para saber se é mesmo verdade as coisas que vão lendo»

«Não podemos proibir. É impossível. Estamos rodeados por ela em todo o lado.»



«Hoje, nem metade da primeira equipa fuma, julgo eu. São pouco. Antigamente eram todos (risos). Na segunda equipa já se vê mais e nos veteranos, então, são todos. São os mesmos de antigamente, no fundo»

«As pessoas viam os nossos jogadores quase todos com cabelo comprido e a fumar cannabis sentados junto ao campo e não nos viam como um clube de futebol. Éramos olhados de lado»,

«Depois começaram a faltar argumentos«Conseguimos passar a usar o campo que existe à entrada da Christiania para os nossos jogos. É a casa de 17 equipas. Tínhamos campo, tínhamos jogadores, condições. Por que não nos deixariam jogar?

«Quem chega só precisa mostrar que sabe jogar»

«As nossas preocupações são mais sociais e visam fazer algo por esta região. Temos, também, recebido nos últimos anos vários jogadores que não tiveram sucesso em clubes maiores e juntam-se a nós. Temos uma boa rede de contactos e criamos um projeto bom para o clube.»



«A equipa principal tem três treinadores. Temos a filosofia de que o clube deve ser para todos, franco, aberto. Quem cá chega só precisa de uma coisa: mostrar que sabe jogar futebol, claro. Depois dos jogos, aí sim, entram as questões sociais. Temos sempre muitas festas, jantares e isso faz as pessoas apaixonarem-se por este clube. Aliás, as pessoas do clube não são pagas. O dinheiro que arrecadamos vai para outros esforços que queremos fazer na zona e para os eventos sociais»


Festa no balneário do CSC (Foto: Facebook Christiania)

«Até temos um patrocínio da Hummel, que é uma grande marca e ajuda-nos muito. É uma coisa mais a sério, agora»

«O clube é para os jovens. Nós somos os velhos que começamos isto mas para quem o futebol não era tão a sério. Era uma brincadeira enquanto se fumava e conversava

«último príncipio»«Sabemos que há despesas e não pode ser totalmente gratuito, mas os nossos valores são quatro ou cinco vezes mais baixos do que os clubes da nossa dimensão. Tentamos que seja o mais barato possível para que todos tenham oportunidade de jogar.»

Snoop Dog, U2 ou Daniel Agger já vestiram a camisola

«You’ll never walk alone»«You’ll never smoke alone»«Nunca fumarás sozinho»




Daniel Agger e Snoop Dog com a camisola do CSC (Foto: Facebook Christiania)

«A nossa região é turística e muito procurada. A nossa marca é tão grande por esta altura que quando há algum concerto, por exemplo, acabamos por ter várias vezes visitas.»
 

«Aconteceu com o Snoop Dog, com os U2. Tivemos cá um ator, não me lembro agora do nome [Woody Harrelson], que passou dois dias connosco a jogar xadrez. Sim, porque isto não é só futebol. Eles ficam surpreendidos com o clube, nós oferecemos camisolas e eles usam e ajudam a divulgar.»


O ator Woody Harrelson em visita ao CSC (Foto: Facebook Christiania)