O «Aztecazo», como já lhe chamam, é o quarto jogo sem ganhar dos mexicanos, que caíram para o quarto lugar do «hexagonal» final de qualificação para o Mundial. Uma posição que dá acesso a um play-off frente ao primeiro da zona de apuramento da Oceania, a Nova Zelândia. Este embate, a duas mãos, realiza-se em novembro, e os «aztecas» até este lugar têm em risco, face à proximidade do Panamá, na quinta posição, a apenas um ponto.

No mítico Azteca, o México inaugurou o marcador logo aos seis minutos, por Peralta, a passe de Giovanni dos Santos. Mas a grande surpresa viria na segunda parte, com os remates certeiros de Bengston e Costly a proporcionarem aos hondurenhos o primeiro triunfo de sempre em terreno do rival.

A Costa Rica, que também bateu os Estados Unidos esta madrugada por 3-1 (Zamora, 2, Celso Borges, 10, Campbell, 75; Clint Dempsey, 43 gp), é líder com 14 pontos, mais um do que os americanos. As Honduras têm agora dez e o México 8.

A piorar o cenário para os mexicanos está o calendário. A 11 de setembro visitam os Estados Unidos, a 12 de outubro recebem o Panamá, que ainda aspira ao playoff, e a 16 do mesmo mês fecham o apuramento na Costa Rica. Vida difícil para a equipa de Diego Reyes.