Aos 33 anos, Gaúcho volta a estar em grande e, apesar de não estar a ser opção frequente para Scolari, ainda sonha com nova presença num Mundial, 12 anos depois de ter sido decisivo para a conquista do título no Mundial-2002.

Será que Ronaldinho fez bem em continuar no Mineiro? Rui Malheiro, especialista em futebol internacional, considera que sim: «Seria um equívoco abandonar o Atlético Mineiro, mas não acredito sequer que tenha colocado essa hipótese.

Disputar o Mundial de Clubes, com a perspetiva de se cruzar com Guardiola, é um estímulo determinante, não esquecendo que Scolari, após o triunfo do Galo na Libertadores, disse que o jogador tem hipóteses de estar presente na Copa, o que foi o fator determinante para regressar ao futebol brasileiro. Para além disso, convém não esquecer que, à semelhança de Ramires, o seu afastamento do Escrete deveu-se a um problema disciplinar: chegou 25 minutos atrasado a um estágio e Scolari fez jus à alcunha de Sargentão. Nada que nos surpreenda. Agora, Ronaldinho termina contrato em dezembro e, neste momento, pode comprometer-se com qualquer clube. Acredito que tome a decisão após os próximos particulares da Canarinha: se não for convocado, vendo que as suas hipóteses de ir à Copa são diminutas ou nulas, não fico surpreendido se rumar a novas paragens. Não sei se na Europa ou no continente asiático. Se ficar no Brasil, parece-me um sinal claro que a presença no Mundial 2014 permanecerá em aberto até à saída da convocatória final.»

Scolari já o chamou ao escrete, nesta segunda era de Felipão, mas a verdade é que Ronaldinho parece ter perdido o comboio das principais escolhas da seleção.

Será que Scolari, que gosta bastante de Ronaldinho, tem espaço no escrete para o levar ao Mundial, apesar de não ser convocado regular? «Ronaldinho, a jogar a este nível, tem lugar na seleção brasileira, o que não significa que volte a ser convocado. Se fosse realizado um inquérito aos torcedores seria certo que Neymar, Ronaldinho e Kaká comporiam o top 3», nota Rui Malheiro. «Se Neymar tem presença mais do que garantida, o selecionador é Luiz Felipe Scolari e este tipo de pressão só lhe dá força para não convocar os dois jogadores. Na hipótese mais simpática, convocará um. Mas todos sabemos que, apesar de tudo, Kaká está mais preparado do que Ronaldinho para ser suplente. Só que ter estrelas no banco, idolatradas pelo povão, é algo que não agrada a Scolari, como o seu historial como técnico comprova. A isto acresce a alteração do sistema de 4x2x3x1 para 4x3x3/4x1x4x1, o que implica a ausência de um «10» no espaço central, posição que pertence a Óscar. Com Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires, Hernanes e Óscar com pé e meio na Copa (para não dizer os dois), sobram uma ou duas vagas no meio-campo: uma para um médio-defensivo equilibrador, que será a alternativa direta a Luiz Gustavo (Fernando, Sandro ou Ralf); outra para um médio-ofensivo (Ronaldinho ou Kaká). Se for apenas uma, parece-me que Scolari optará por um médio de características defensivas, até porque poderá aproveitar a versatilidade de Lucas ou apostar numa surpresa como Coutinho para o meio-campo ofensivo, jogadores que não repudiariam a hipótese de ser suplentes na Copa, tal como Kaká em 2002.»