Mas o jogo até nem começou bem para o Liverpool. Aos 23 minutos Cristiano Ronaldo deu vantagem ao Manchester United, na conversão de uma grande penalidade, a punir falta de Reina sobre Park.

O fosse entre as duas equipas aumentava ainda mais, mas o Liverpool respondeu à altura das exigências. Cinco minutos depois do golo de Ronaldo surgiu o empate. Fernando Torres aproveitou uma dupla falha de Vidic e bateu Van der Sar. Um minuto antes do descanso os visitantes iriam consumar a reviravolta no marcador. Gerrard foi rasteirado na área por Evra e assumiu ele próprio a conversão do penalty, com sucesso.

Vidic, simplesmente para esquecer

No segundo tempo o Manchester United procurou alterar o rumo dos acontecimentos. O Liverpool esteve algum tempo encostado às cordas, mas os ataques da equipa da casa em nada resultavam. Alex Ferguson decidiu lançar, de uma só vez, Giggs, Scholes e Berbatov, mas logo a seguir sofreu novo golpe. Vidic confirmou uma tarde negra e ao falhar um corte viu-se obrigado a agarrar Gerrard, para evitar que este seguisse isolado para a baliza. O central sérvio viu o cartão vermelho e, para agravar ainda mais a situação, o Liverpool aproveitou o livre da melhor maneira. Fábio Aurélio, com um grande pontapé, deixou Van der Sar pregado ao chão.

O tento do brasileiro sentenciou o jogo e fez o Man Utd baixar os braços. Com muito espaço para jogar no último terço, os visitantes ainda conseguiram chegar marcar mais um golo, por intermédio de Dossena, que tinha saído do banco.

Foi já com as bancadas muito despidas que o apito final soou. O Manchester United continua a depender apenas de si mesmo (e muito) para revalidar o título, mas o Liverpool ganhou novo fôlego, naquela que foi uma semana de sonho para a equipa de Rafa Benitez, que na terça-feira tinha goleado o Real Madrid (4-0).

Equipas:

MAN UTD: Van der Sar; OShea, Ferdinand, Vidic, Evra; Ronaldo, Carrick (Scholes, 74m), Anderson (Giggs, 74m), Park (Berbatov, 74m); Rooney e Tevez

Suplentes não utilizados: Foster, Nani, Evans e Fletcher

LIVERPOOL: Reina; Carragher, Skrtel, Hyypia, Aurélio; Mascherano, Lucas e Gerrard (El Zhar, 90m); Kuyt, Torres (Babel, 81m) e Riera (Dossena, 67m)

Suplentes: Cavalieri, Dossena, Babel, Insua, Ngog, Nabil El Zhar e Arbeloa