Do outro lado do Atlântico, o ponta-de-lança continua a acompanhar o campeonato português e deixou uma certeza, em conversa com o Maisfutebol. «Se fosse hoje, de certeza que repetiria o gesto. Foram três prontos importantes para o Paços de Ferreira. Estava a defender os interesses do Paços, nesse lance a bola foi em direcção ao braço e fiz o que tinha a fazer para ajudar a minha equipa. Sem arrependimento», garante.

Aos 26 anos, Ronny recupera de uma lesão complicada, contraída ao Outubro de 2008, com a camisola dos chineses do Shaanxi Baorong. «Tive de fazer uma cirurgia de reconstrução de um ligamento no joelho, mas estou a recuperar bem aqui em Ribeirão Preto e devo concluir o processo no prazo de um mês», espera.

«Futebol é uma caixinha de surpresas»

Recuando até 19 de Setembro de 2006, o avançado brasileiro recorda a polémica em torno de um golo que perdura na memória colectiva. No sábado, o Internacional Board decidiu avançar para a colocação de árbitros na linha de fundo. Ronny concorda. «Acho que é uma boa medida, para defender o futebol. Fica mais difícil fazer sacanagem», brinca.

«Sei que fiquei marcado por esse lance mas não só. Saí a meio desse campeonato e estava na luta pelo título de melhor marcador da Liga. Aliás, acabei por ser o melhor marcador do P. Ferreira. Continuo a acompanhar o P. Ferreira, sei que ganharam no último jogo e vi o jogo com o F.C. Porto pela televisão. Têm hipóteses de vencer em Alvalade, o futebol é uma caixinha de surpresas e a equipa tem valor», defende o jogador.

Ronny trocou o Paços de Ferreira pelo Shangai Shenua, após o golo polémico em Alvalade. No campeonato chinês, representou igualmente o Shaanxi Baorong. «Tenho uma proposta do Shaanxi para continuar por mais três anos. É um clube com grandes condições financeiras, a proposta também é muito boa, portanto devo voltar à China quanto recuperar totalmente. De qualquer forma, estou a analisar outras possibilidades para o futuro», conclui.