Com quase 100 internacionalizações pela seleção do Brasil, esteve em dois mundiais (2010 e 2014), chegou a estar perto de ser chamado por Scolari para 2014 e Dunga já o chamou para a Copa América.

Passou pelo Real Madrid, pelo City, pelo Milan. Foi um dos avançados mais desejados do mercado internacional até há poucos anos. 

Com 31, a começar a reta final da carreira, sem o fulgor de há seis ou sete épocas, é uma das principais referências do Santos, seu clube do coração, que já representa pela terceira vez (depois de 2002/2005 e 2010, quando do primeiro empréstimo, na altura do City).

 

A QUESTÃO DOS DIREITOS

 

«É engraçado ver os clubes falando que temos de baixar o salário quando voltamos da Europa. Mas baixamos, voltamos e, muitas vezes, não recebemos».

Cedido pelo AC Milan ao Santos, Robinho está a terminar segundo ano de vínculo com o Peixe. O contrato com o Santos está a terminar (cessa a 30 de junho), mas a ligação com o AC Milan, entretanto, já foi interrompida em definitiva. 

  

A vontade das duas partes parece ser mesmo a da continuidade.

Robinho esteve em bom plano nas duas primeiras jornadas do Brasileirão ( golo e assistência para golo nas partidas com Avaí e Cruzeiro), mas há uma grande questão a resolver: as dívidas salariais que o Santos manteve com Robinho e outros jogadores do plantel.

Nos últimos dias, o Santos garantiu empréstimo de oito milhões de reais (2,64 milhões de euros) do banco BMG e terá já mesmo repartido a verba pelos jogadores credores, entre os quais Robinho. O essencial terá a ver com direitos de imagem, que estão incluídos na verba total que Robinho recebe mensalmente do Santos. 

 

LIGAÇÃO A SANTOS

 

«Em Santos, eu tenho casa, me sinto feliz. Acho que a diretoria já agendou conversa (com os representantes). Estou focado no jogo do fim de semana. Meu foco é jogar. Tem mais um mês de contrato. Não tenho pressa para nada. A diretoria é que tem de se manifestar. Eu fico focado no meu trabalho.»

 

Robinho e o Santos têm uma longa história de amor.

O craque estreou na equipa profissional em 2002, já lá vão 13 anos, no Torneio Rio-São Paulo.

De uma geração de ouro de jogadores formados na Vila Belmiro (Diego, Leo, Elano, Renato, Alex, André Luís e Maurinho), Robinho viria a ser o que mais longe conseguiu chegar. 

 

GRANDES MOMENTOS DE ROBINHO NO SANTOS

 

INCLINADO A FICAR

 

«Sobre renovação, eu quero. Espero que eu possa continuar por muito mais tempo. No que depender de mm quero ficar na Vila»

 

«Ninguém gosta de sair do lugar onde é bem recebido. Sou um torcedor dentro de campo. Existem vários fatores positivos para que eu permaneça no clube que me revelou, onde ganhei mais títulos. Espero que possa seguir.»

  

 

ROBINHO, FUTEBOL MOLEQUE

 

  

E SE NÃO HOUVER ACORDO?

«Sou profissional. Vou para o time que me fizer uma proposta melhor e procurar fazer o meu trabalho da melhor maneira possível »

(Robinho, conferência de Imprensa no Santos, sobre o seu futuro)

Robinho repartiu a sua carreira entre o Santos e grandes nomes do futebol europeu. 

Se não houver acordo para ficar no Vila Belmiro, pode aparecer uma nova etapa... Um grande brasileiro sem ser o Santos. Flamengo? O bicampeão Cruzeiro?: «O que tem de verdade é que tem interesses de outros clubes do Brasil. Tenho contrato aqui com o Santos. A única verdade é essa. Não tenho nada assinado e apalavrado. Claro que quando chega perto do fim do contrato outros clubes manifestam interesse.»

 

 

DO SANTOS AO SANTOS, COM MADRID, MANCHESTER E MILAN PELO MEIO

 

 

 

PELÉ DESCOBRE UM ROBINHO COM 15 ANOS

 

 

 

ROBINHO, A HISTÓRIA DO CRAQUE DO SANTOS

 

 

 

B.I.  

ROBINHO

Nome: Robson de Souza

Data de nascimento: 25 de janeiro de 1984 (31 anos)  

Naturalidade: São Vicente

Posição: Avançado

Altura: 1,72 metros  

Peso: 65 quilos  

Percurso nos clubes: Santos (2002-2005, 2010, 2014-15), Real Madrid (2005-2008), Manchester City (2008-2010), Milan (2010-2014)

Percurso nas seleções: 98 internacionalizações, 29 golos pelo escrete; oito jogos e três golos pela seleção olímpica; presenças nas fases finais dos mundiais de 2006 e 2010 

Marcas relevantes: duas Taças Confederações (2005, 2009); Copa América 2007; títulos brasileiros de 2002 e 2004; Taça do Brasil 2010; dois títulos espanhóis (2007 e 2008); Supertaça de Espanha 2008; título italiano 2011; Supertaça Itália 2011; dois estaduais paulistas 2010 e 2015

«Mundo Brasil»  é uma rubrica que conta histórias das experiências de jogadores e treinadores brasileiros que atuam ou já atuaram em campeonatos espalhados pelo globo