Talento para crescer é um espaço em que é dada voz aos treinadores. Da II Liga à Liga revelação, a opinião dos técnicos em relação a um craque para o futuro. Críticas e sugestões para vem.externo@mediacapital.pt.

Da II Liga à Liga revelação, o talento abunda. Ninguém está mais habilitado do que um técnico que está ou esteve inserido numa dessas competições para palpitar acerca de um possível craque para o futuro. 

O Maisfutebol conversou com Dito, técnico experiente que já passou por Famalicão, Moreirense, Desp. Chaves, Portimonense, Felgueiras, e que recentemente deixou o Sp. Covilhã. Convidado a eleger o jogador que lhe encheu as medidas, Dito sorri e atira de pronto: «João Félix».

«Felizmente temos uma série de jovens jogadores de muita qualidade e que vão assegurar o futuro nos próximos anos. No entanto, acredito que não os vamos ter aqui por muitos anos. Acompanho o João Félix desde que se estreou pela equipa B do Benfica com 17 anos. Nessa altura já mostrava uma grande maturidade para a idade», começa por dizer, antes de desenvolver o raciocínio.

«Há dois ou três aspetos que me impressionaram. O João faz várias posições do sector ofensivo com grande qualidade. É um jogador esteticamente bonito, tem uma passada elegante e, depois, tem último passe e uma capacidade tremenda para finalizar. Salvo as devidas distâncias, compara-o ao Johan Cruijff. O João Félix é o tipo de futebolista que me agrada e entusiasma.»

No entanto, para além da promessa do Benfica, o treinador de 56 anos referenciou também Francisco Trincão.

«É difícil encontrar jovens talentos fora do espaço das equipas bês. O Trincão é um jogador interessante. Acho que tem algumas parecenças com o Félix», sublinhou.

OUTRAS EDIÇÕES DA APOSTA DE:

A aposta de... Chiquinho Conde: Leonardo Ruiz, astúcia e poder de fogo

A aposta de... Miguel Leal: Jota, criatividade e qualidade de decisão

(Artigo publicado às 23:47 de 8 de novembro)