«Vai ser um jogo complicado, a Naval tem uma boa equipa, mas o nosso objectivo é ganhar», começou por analisar Rui Patrício, esta quarta-feira, na antevisão da 24ª jornada, frente à equipa da Figueira da Foz, sábado, em Alvalade.

O fim da prova aproxima-se, quatro pontos separam o Sporting do F.C. Porto, apenas um de vantagem sobre o Benfica, e, nesse sentido, o guarda-redes assegura que os leões estão a trabalhar para ser bem sucedidos em todos os obstáculos. «O nosso objectivo é ganhar os nossos jogos e esperar que o F.C. Porto perca pontos. Temos de nos preocupar connosco, relativamente ao Benfica, estamos à frente e só temos de ganhar. (...) O título ainda não está fora de questão», defendeu.

O empate do F.C. Porto em Old Trafford não foi testemunhado por Rui Patrício, que, todavia, ficou satisfeito com o resultado alcançado pelo adversário. O guarda-redes prevê um líder mais moralizado no que falta do campeonato, mas se a continuidade na Liga dos Campeões facilitar a desatenção na luta pelo título nacional, melhor ainda.

«Não tive oportunidade de ver, mas a Liga dos Campeões é diferente. Foi importante para o futebol português, é um resultado bom para a segunda mão e espero que o F.C. Porto ganhe, pois era importante para nós», desejou o jogador leonino, lembrando: «As vitórias na Liga dos Campeões dão mais moral, mas se continuarem na prova e perderem pontos na Liga...»

Já o Sporting enfrenta outros problemas nesta fase, concretamente as ausências de Vukcevic até ao final da época e de Rochemback por quatro semanas. Os dois médios são peças-chave na estratégia leonina, contudo, Rui Patrício está optimista quanto ao desempenho dos substitutos.

«Quem está no Sporting tem de estar sempre preparado para responder e é o que vai acontecer. São jogadores importantes para a equipa, é pena, são coisas do futebol, mas quem os substituir vai dar o máximo», perspectivou.

Sobre a sua evolução desde que é titular da baliza, o internacional português considera que ainda tem muito para dar e que a Selecção A não é uma preocupação. «Tenho evoluído aos poucos, mas acredito que para o ano ainda vou estar melhor. Sou sub-21 e isso para mim é importante, estar na Selecção.»