«Imaginemos que nada é feito, que se observa uma inércia do lado das entidades que podem agir nesta matéria. Nesse caso, ponderamos antecipar ainda para esta época uma paralisação dos jogadores», disse o presidente do Sindicato, em declarações à Agência Lusa.

Ainda assim, lembra Evangelista, a ideia original é preparar uma paralisação geral no início da próxima temporada: «A posição do sindicato é pública. Defendemos que se deve avançar para uma paralisação no início da próxima época se este problema não estiver resolvido até lá, mas, se virmos que nos próximos tempos nada está a ser feito para evitar no futuro a repetição do que está a acontecer este ano, poderemos antecipar ainda para esta época o protesto.»

Confrontado com o problema, o secretário de Estado do Desporto acusa os clubes de viverem acima das suas possibilidades, embora considere que existem alguns progressos. «É o mesmo problema de sempre: que é viverem acima das suas capacidades. Creio que os dirigentes do futebol português estão conscientes disso e estão a procurar juntar, entre eles, soluções que tenham a ver com as competições, o financiamento das mesmas, os direitos de televisão», disse.