Erling Braut Haland. Fixe bem este nome. Esta noite o jovem norueguês, de 19 anos, ofuscou por completo o regresso do Liverpool, campeão europeu em título, à Liga dos Campeões, ao marcar um hat-trick, com três golos na primeira parte, na goleada dos austríacos do Salzburgo aos belgas do Genk (6-2). O jovem jogador, filho de um antigo defesa do Leeds e do Manchester City, tornou-se no mais jovem de sempre a marcar três golos em apenas 45 minutos, ultrapassando as marcas de históricos como Shevechenko e Lionel Messi.

A verdade é que o Liverpool perdeu mesmo diante do Nápoles (0-2), na visita ao San Paolo, com uma grande penalidade consentida a dez minutos do final, convertida por Mertens, reforçada com um golo de Llorente em tempo de compensação, e o Salzburgo é líder deste Grupo E.

Os austríacos entraram praticamente a ganhar frente aos belgas do Genk, Haaland a marcar logo aos 2 minutos. Apesar da estreia na Champions, o jovem avançado já tinha dado nas vistas neste arranque de temporada, com oito golos em seis jogos na liga austríaca. Se alguém desconfiava do seu valor, o jovem encarregou-se de esclarecer todas as dúvidas, com mais dois golos marcados esta noite, todos antes do intervalo.

Depois do golo inaugural, logo aos 2 minutos, Haaland voltou a marcar aos 34. O Genk já tinha aberto as suas linhas, à procura de uma resposta, mas acabou por consentir um terceiro, dois minutos depois do segundo, desta vez marcado pelo sul-coreano Hee-Chan Hwang.

Com o 3-0 o jogo parecia estar resolvido antes do intervalo, mas os belgas ainda ganharam um balão de oxigénio quando, aos 40 minutos, Jhon Lucumi reduziu a diferença. A verdade é que o ar escapou de uma vez e, em poucos minutos, os austríacos marcaram mais dois golos. Haaland completou o hat-trick no último minuto e Dominik Szoboszlai ainda fez o 5-1 nos descontos. Incrível. Um verdadeiro festival de golos na primeira parte, com quatro golos nos últimos dez minutos e o nome de Haaland a correr pelas bancadas.

O possante avançado, com quase dois metros de altura, entrou, assim, para a história da Liga dos Campeões, como o mais jovem de sempre a marcar um hat-trick na primeira parte de um jogo, ultrapassando Shevchenko (21 anos e 37 dias) e Lionel Messi (22 anos e 286 dias). Não foi o primeiro jovem a estrear-se com um hat-trick, longe disso. Nomes como Van Basten, Asprilla, Ayegbeni, Rooney, Iaquinta, Grafite e Brahimi também marcaram três golos na estreia, mas Haalnd fê-lo em apenas 45 minutos.

Por falar nisso, faltava ainda jogar a segunda parte. Ãpesar do resultado pesado, o Genk não baixou os braços e reduziu a diferença, aos 52 minutos, por Samata, mas o Salzburgo recuperou a confortável vantagem aos 66 com golo de Andreas Ulmer. Oito golos em pouco mais de uma hora.

Ainda faltava meia-hora, mas a história do jogo já estava mais do que escrita, até porque Haaland foi substituído aos 72 minutos.

Campeão europeu com falsa partida no San Paolo

Em segundo plano ficou a derrota do Liverpool em Nápoles. Um jogo eletrizante com os italianos, com Mário Rui titular, a oferecerem boa réplica à equipa comandada por Jürgen Klopp e reclamarem a vitória a dez minutos do final, com o San Paolo em delírio.

O treinador alemão apostou no fato de gala apostando num onze muito parecido com a final do Wanda Metropolitano, apenas com Milner a render Wijnaldum, além da troca forçada de guarda-redes, uma vez que Alisson ainda não recuperou de lesão. De resto quase tudo igual à final de Madrid, até na forma como a equipa de Klopp abordou o jogo.

O Nápoles, por seu lado, não se deixou atemorizar pelo jogo vertiginoso dos Reds e foi respondendo na mesma moeda. Um jogo intenso desde o primeiro ao último minuto, com oportunidades nas duas balizas.

Mas no final, o que contou mesmo, foi uma falta de Robertson sobre José Callejón, em plena área, a dez minutos do final. Dries Mertens transformou o castigo em golo. O jogo seguiu intenso até ao último suspiro e o Nápoles ainda festejou um segundo golo, desta vez com a assinatura de Llorente. Estava feito.