«Se isso acontecer será o concretizar de um sonho. Representar Portugal, seja nos sub-21 ou nos AA, é sempre um orgulho enorme, mas se me estrear será um momento marcante na carreira», admitiu.

 

Questionado se ainda contava disputar o Europeu de sub-21 ou se pensava fixar-se já na seleção principal, o jogador do Sporting mostrou-se disponível para tudo: «O meu foco é dar 100 por cento naquilo em que estou envolvido. Ainda posso fazer o Europeu de sub-21, que também é muito prestigiante. Seja qual for o escalão, as pessoas sabem que o meu foco vai ser total.»

 

Desafiado a fazer um resumo desta época, na qual passou do Vitória de Guimarães para o Sporting, e agora com a chegada à Seleção Nacional, Paulo Oliveira respondeu que é «o resumo da vida de um jogador». «É feita de momentos, quando estamos num momento mau temos de pensar que pode passar, e quando estamos num momento bom temos de estar preparados para uma quebra e ser fortes para voltar», completou.

 

O central abordou ainda o cariz solidário do jogo com Cabo Verde, cujas receitas vão reverter totalmente para as vítimas do vulcão da Ilha do Fogo. «Sabemos que foi uma altura complicada. Toda a gente está sujeita a isso, a um momento mais difícil, e esperamos que as pessoas compareçam para fazermos um bom jogo e ajudarmos», afirmou.