A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou este sábado que Asumah foi retirado da lista de opções de Emílio Peixe para o Euro sub-19 devido a dúvidas «no cumprimento dos pressupostos FIFA» para a sua participação na competição.

O extremo-esquerdo, de 19 anos, nasceu no Gana e estudou em Portugal. Em causa estão dúvidas sobre a sua permanência ininterrupta durante dois anos em Portugal, condição necessária para a sua elegibilidade para a competição, situação avançada pelo «Record» e confirmada posteriormente pelo Maisfutebol. Asumah joga na Holanda, ao serviço do Willem II.

O jogador marcou um golo e participou em dois jogos da Seleção na prova, que se realiza na Alemanha.

De acordo com fonte federativa contactada pelo nosso jornal, não está em causa a nacionalidade do jogador, que estudou em Ermesinde, onde o pai, também de origem ganesa mas também já com passaporte luso, vive e trabalha há quinze anos. Entretanto, Asumah prestou provas em vários clubes e acabou por ir jogar futebol para a Holanda, onde se tem destacado. 

Ora, é neste período passado em Portugal antes de emigrar para a Holanda que incidem as dúvidas. Não é completamente claro que tenha permanecido durante dois anos ininterruptos dentro das fronteiras portuguesas.

A FPF acredita que a seleção não sofrerá consequências pela situação do jogador, uma vez que foi a própria a retirá-lo de entre as opções de Peixe para o resto da fase final.

Portugal defronta a Itália este domingo, no último jogo do seu grupo. 

Leia o comunicado:

«A Federação Portuguesa de Futebol comunica o seguinte: 

 

Asumah Abubakar-Ankra, internacional sub-19, é possuidor de um passaporte emitido a 4 de fevereiro de 2016 pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e como tal cidadão português.

  

No entanto, informação recebida nas últimas horas suscita dúvidas sobre o total cumprimento dos pressupostos FIFA de participação numa competição internacional, pelo que foi decidido retirar de imediato o jogador da convocatória para o Euro Sub-19. 

 

Esta decisão foi já comunicada à UEFA.»