O atentado, que ainda não foi reclamado, terá sido executado por cerca de uma dúzia de homens armados e as autoridades locais relacionam a forma de actuar com os terroristas dos ataques que se registaram em Novembro passado na Índia, em Bombaim. A polícia encontrou granadas e lança-roquetes junto ao local do incidente.

Segundo relatos da comunicação social local, o autocarro e a sua escolta terão sido emboscados numa rotunda junto à Praça da Liberdade no coração de Lahore, quando a comitiva se dirigia para o estádio Gaddafi, para um último treino antes do jogo. A selecção do Sri Lanka foi convidada pelo Paquistão para realizar esta partida depois da Índia ter cancelado um primeiro convite por razões de segurança, logo após os atentados de Bombaim.

Entre os feridos na comitiva do Sri Lanka, dois foram hospitalizados, enquanto os restantes cinco sofreram apenas ferimentos ligeiros, tal como o treinador. «Os jogadores estão em choque. Nunca tinham passado por uma situação destas», contou Sanath Jayasuriya, antigo internacional do Sri Lanka a um canal de televisão indiano. Não há registo de que qualquer dos assaltantes tenha sido morto ou detido.

O presidente do Sri Lankla, Mhinda Rajapakse, condenou «o ataque cobarde terrorista» e pediu a evacuação imediata dos jogadores para o seu país natal, colocando um avião à disposição para esse efeito. O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, também condenou o ataque e ordenou a abertura imediata de um inquérito para que os «assaltantes sejam identificados e para que os seus motivos sejam conhecidos».

Uma televisão local captou imagens do momento final do assalto nas quais são visíveis dois dos assaltantes. Vejas as imagens: