Para já, o atraso é significativo. Olhando para a classificação dos nove grupos na perspectiva dos pontos perdidos, e numa altura em que a qualificação está sensivelmente a meio, Portugal é só a 37ª selecção europeia, com nove pontos perdidos em quinze. Ou seja: mesmo partindo do princípio que não há mais perdas próprias nos jogos em falta, há pelo menos 20 posições a recuperar nesta corrida contra o tempo perdido.

Eis o ponto de situação em todos os grupos. A maioria das equipas cumpriu cinco jogos, as excepções encontram-se assinaladas:

Pontos perdidos na qualificação europeia

Grupo 1

Dinamarca, 2 (4 jogos)

Hungria, 5

Suécia, 6 (4 jogos)

Portugal, 9

Grupo 2

Grécia, 5

Suíça, 5

Israel, 6

Letónia, 8

Grupo 3

Eslováquia, 3 (4 jogos)

Rep. Checa, 7

Eslovénia, 7

Irlanda do Norte, 8 (6 jogos)

Polónia, 8

Grupo 4

Alemanha, 2

Rússia, 3 (4 jogos)

Finlândia, 5 (4 jogos)

Grupo 5

Espanha, 0

Bósnia, 6

Turquia, 7

Bélgica, 8

Grupo 6

Inglaterra, 0 (4 jogos)

Ucrânia, 2 (3 jogos)

Croácia, 5 (4 jogos)

Bielorrússia, 6 (3 jogos)

Grupo 7

Sérvia, 3

França, 5 (4 jogos)

Lituânia, 6

Áustria, 8 (4 jogos)

Roménia, 8 (4 jogos)

Grupo 8

Itália, 2

Irlanda, 4

Bulgária, 8 (4 jogos)

Chipre, 8 (4 jogos)

Grupo 9

Holanda, 0 (4 jogos)

Macedónia, 6 (3 jogos)

Islândia, 8 (4 jogos)

Escócia, 8 (4 jogos)