«Não sabia que tinha marcado o golo 4000 do Atlético na Liga. Só fiquei a saber depois, quando estava no balneário. O mais importante era a vitória, mas é uma honra imensa ver o meu nome figurar nos livros de história do clube», começa por dizer.

O internacional luso reconhece que costuma marcar golos históricos. «Há muito tempo que não marcava um golo, por isso também fiquei feliz. Lembro-me que no Benfica também marquei alguns golos históricos. Aliás, tinha marcado o último golo do antigo Estádio da Luz. São recordações bonitas, que depois podes contar aos teus filhos», atira Simão.