Nesta vitória, mais uma, o Braga não foi brilhante, é verdade. Aliás, raras vezes alcança esse patamar exibicional. Mas foi inteligente. O golo de Andrés Madrid - o argentino não marcava desde Outubro de 2005 (!) - aos 16 minutos atordoou a melhor entrada do Rio Ave e colocou os minhotos na posição em que mais confortáveis se sentem: em vantagem no marcador.

FICHA DE JOGO

A vencer, o Sp. Braga é, realmente, uma formação complicadíssima. Tem dois homens no meio-campo exímios na circulação de bola (Hugo Viana e Madrid), dois extremos com uma disponibilidade gigantesca (Alan e Matheus) e um homem que liga como poucos o corpo da equipa ao ataque: Márcio Mossoró.

Um elogio à ambição de Carlos Brito...

Os primeiros minutos, já o escrevemos, pertenceram ao Rio Ave. Tarantini atirou de cabeça uma bola à barra, Bruno Gama teve duas boas arrancadas pela direita e Eduardo foi obrigado a estar muito concentrado. O golo de Madrid mudou tudo.

É justo, porém, elogiar a qualidade deste conjunto de Vila do Conde. No terreno de uma equipa forte, Carlos Brito mostrou ambição, percebeu que podia levar pelo menos um empate para casa e arriscou muito na última meia-hora. Alicerçou a equipa num 4x2x4, entregou a organização de jogo a Vitor Gomes (que grande exibição!) e manteve a definição do jogo em aberto até final.

Os «destaques» do jogo

Ao Rio Ave faltou, essencialmente, mais arte na frente. Bruno Gama fez um bom jogo, mas não esteve bem acompanhado pelos restantes avançados. João Tomás faz muita falta a esta equipa. Ainda assim, mais cedo ou mais tarde, a equipa dos Arcos vai amealhar os poucos pontos que lhe faltam para assegurar a permanência.

... e à aposta de Domingos em Renteria

Wason Renteria estreou-se a titular na Liga. Sinal evidente da insatisfação de Domingos com o rendimento de Meyong. O técnico procurou uma nova forma para a frente de ataque e percebeu que a equipa fica a ganhar com o colombiano. A Renteria falta frieza na hora de definir o remate, sem dúvida, mas oferece músculo, dimensão e densidade à equipa na área contrária.

AO MINUTO

É bem provável que na Luz seja Renteria a jogar novamente. Frente ao Rio Ave, o Sp. Braga teve o mérito de segurar a bola no ataque e, com isso, ganhar tempo e espaço para a aproximação dos homens da retaguarda. E isto tem faltado à equipa.

A vitória foi justa, apesar da imagem muito boa deixada pelo Rio Ave. Como escrevemos na antevisão, jogaram duas das melhores equipas do campeonato. A ideia saiu reforçada.