Madrid, uma nova era

Quatro anos e cinco meses sem marcar é muito tempo. Demasiado tempo, mesmo para um médio-defensivo. Um hiato profundo, marcado por lesões, um empréstimo infrutífero ao F.C. Porto e muitas promessas adiadas. Andrés Madrid suportou tudo e começa a colher os frutos da paciência. A suspensão de Vandinho abre uma vaga na equipa, feita à medida para Madrid. Resta ao argentino pedir mais sorte com as lesões. Do resto, o seu futebol encarrega-se: sóbrio, simples, certeiro. Madrid é tacticamente perfeito e muito importante na circulação de bola.

Renteria, bons indicadores

Uma assistência para golo, um remate parado atabalhoadamente pelos pés de Carlos, duas ou três movimentações fortíssimas. Assim se resume a estreia do internacional colombiano a titular nesta Liga. Domingos Paciência não pode estar satisfeito com o rendimento apenas razoável de Meyong e procura em Renteria valências que não encontra no camaronês: dinamismo, potência e grande capacidade para segurar a bola. Deu boas indicações, mas pode fazer mais.

Vitor Gomes, que diferença!

A maturidade trouxe classe e autoridade ao futebol deste médio formado em Vila do Conde. Autoritário, sabedor, segura bem o esférico e procura sempre as melhores linhas de passe. Que diferente está Vitor Gomes. Para melhor, sem dúvida. Já não é aquele elemento generoso, raçudo, mas atarantado. Acalmou e tornou-se preponderante na zona intermediária do Rio Ave.

Hugo Viana, um pé esquerdo de muitas maravilhas

Mal toca na bola, logo se percebe a doçura do seu futebol. Não consegue tratar mal o couro, é incapaz disso. Cabeça sempre levantada, lucidez exemplar, em busca do caminho da perfeição. Geométrico, cirúrgico, atravessa uma excelente fase na carreira. Aquele pé esquerdo faz maravilhas, de facto. Chega a ser brilhante na forma fácil como, à distância, coloca a bola nos pés dos colegas.

Filipe Oliveira, em busca de estabilidade

Pode não ter a dimensão de João Pereira, mas começa a dar sinais muito interessantes. Está a defender bem, sempre sem complicar, e a soltar-se para o ataque. Surgiu várias vezes no apoio a Alan e obrigou Carlos a uma defesa exigente, através de um remate com o pé esquerdo. É um jogador a necessitar de confiança e estabilidade. Se isso suceder, talvez se torne um bom lateral direito.

Sílvio, muito acertado

A manter este rendimento, não ficará muito mais tempo em Vila do Conde. Bela exibição, principalmente em termos defensivos. Raros foram os lances em que apareceu batido por Alan. Certinho como um relógio dos caros. Um excelente defesa esquerdo.