A formação de Jorge Jesus despede-se da Taça Intertoto de sorriso nos lábios e cheio de moral. Segue-se agora uma eliminatória para corrigir uma última época desastrosa e confirmar este Sp. Braga como uma equipa definitivamente europeia.

Para o futuro ficam também bons sinais de uma formação que tem pouco a ver com a última época. Mesmo que seja uma equipa em construção, e a quem falta naturalmente melhores automatismos, nota-se que existe agora mais tranquilidade e confiança.

A equipa já não sente agora a bola queimar nos pés, como parecia acontecer no passado. Arrisca, tem maior profundidade, trabalha melhor as variações de flanco e sobretudo é temível nas bolas paradas. Esta tarde as melhores ocasiões de golo nasceram de livres.

Foi dessa forma, aliás, que chegou ao primeiro golo, por Matheus, depois de Wender, Moisés e Vandinho terem ficado perto de marcar em situações idênticas. É certo que o Sivasspor pareceu ser limitado nesse aspecto, mas o Braga também terá o seu mérito.

Depois, claro, e até porque colectivamente o entendimento ainda não é perfeito, ressalta evidente a qualidade de alguns jogadores bracarenses. Esta tarde o caso mais evidente foi Matheus: marcou o primeiro golo, assistiu o segundo e sofreu o penalty do terceiro.

Mas houve mais. Houve Wender, houve Luís Aguir nas bolas paradas, houve Moisés a mandar na defesa e houve Eduardo na baliza. Em duas grandes defesas o guarda-redes tornou-se fundamental neste resultado, até porque nessa altura prevalecia o nulo.

Aos poucos, portanto, Jorge Jesus parece estar a construir um plantel para dar que falar esta época. Existe matéria humana e vontade para isso. Para já, a construção começa por trás, pela consistência defensiva que esta tarde foi admirável. Com o tempo virá o resto.

Ficha de jogo:

Estádio Municipal Axa, em Braga

Árbitro: Félix Brych (Alemanha)

Assistentes: Thorsten Schiffner e Georg Schalk

SP. BRAGA: Eduardo; João Pereira, Moisés, Leone e Evaldo; Frechaut; Vandinho, Luís Aguiar e Wender (Jorginho, 84m); Matheus (Stélvio, 71m) e Linz (Orlando Sá, 84m).

Suplentes não utilizados: Kieszek, Rodriguez, Palmeira e Filipe Oliveira.

SIVASSPOR: Vardar; Abdurrahman (Bayar, 36m), Bilica (Solgelmei, 59m), Diallo e Ilhan; Sylla, Musa e Sérgio Pacheco; Devran, Balaili e Dagasan (Tum Herve, 54).

Suplentes não utilizados: Volkan, Yilmas e Yerlikana.

Golos: Matheus (44m), Linz (56m) e Luís Aguiar (70m, g.p.)

Disciplina: cartão amarelo para Sylla (26m), Wender (28m), Balaili (38m), Diallo (64m)