O Sp. Braga enviou esta quarta-feira uma nota à Comunicação Social em que nega «qualquer relação com a transferência de Talisca para o Benfica».

O clube minhoto pronunciou-se após notícia de que estão a ser investigadas alegadas comissões pagas ao presidente do Sp. Braga, António Salvador, relativas ao processo de transferência do jogador, em 2014, proveniente dos brasileiros do Bahia.

Na nota, o Sp. Braga diz que o clube ou o seu presidente, António Salvador, «não foram notificados de nada e não têm absolutamente nenhuma relação (direta ou indireta) com a transferência do jogador Talisca, do Bahia para o Benfica, em 2014» e que «é totalmente falso que a SC Braga, SAD tenha sido alvo de buscas em maio, ainda para mais relacionadas com a transferência.»

O clube minhoto acrescenta que Bruno Macedo, o advogado envolvido no processo, deixou de trabalhar com os arsenalistas dois anos antes da transferência e que «Vespasiano Macedo, pai de Bruno Macedo, estava nos registos como administrador da Britalar – detida, à data, por António Salvador -, mas desde 2013 que não praticava qualquer ato oficial na empresa supracitada, não sendo, por isso, administrador de facto.»

O Sp. Braga acrescenta que «o acordo entre o Benfica e a empresa Britalar - no âmbito da construção do Centro de Estágio do Seixal -, está datado de dezembro de 2010 e não do mês transato (como é erradamente descrito na notícia) e foi homologado em tribunal.»