Liedson

Decisivo como sempre. Quando a Naval parecia estar a entrar melhor no jogo, o «levezinho» conseguiu aproveitar um deslize de Baradji e assistiu Pereirinha para o golo inaugural. Depois «inventou» o segundo golo. Roubou a bola a Marinho, sofreu falta de Godemeche à entrada da área e por fim desviou com sucesso o livre de Moutinho. A fechar o encontro fez o terceiro do Sporting, aproveitando uma defesa incompleta de Peiser, a remata de Izmailov.

Miguel Veloso

Regressou à titularidade e ainda a bola não tinha começado a rolar já se notava, na sua postura, que as pernas tremiam. Com o apito inicial vieram os assobios, mas o pior ainda estava para vir. Calculou mal um passe para Pedro Silva e deu início ao golo do empate da Naval. As críticas subiram de tom, e os minutos que se seguiram foram duros, mas conseguiu reunir as forças necessárias para tentar mudar as coisas. Procurou muito a bola e subiu ao ataque, à procura de ânimo. O rigor táctico foi esquecido, de certa forma, mas Veloso precisava de bola, queria estar associado a coisas positivas. Os assobios foram sendo substituídos por silêncio, primeiro, e depois por algumas palmas. No segundo tempo perdeu algum fôlego, e voltou a ser algo inconstante. Não limpou completamente a «mancha» que deixou cair na sua exibição, mas soube reagir e mostrou personalidade. Paulo Bento tem motivos para o confortar.

Pereirinha

A passo e passo vai reforçando o seu estatuto no seio da equipa. Apontou o primeiro golo da tarde, depois de uma bela oferta de Liedson. Não marcava para a Liga desde Maio de 2007 (há quase dois anos portanto), mas nos últimos tempos parece estar a despertar a veia goleadora, pois já tinha festejado na final da Taça da Liga.

Marinho e Davide

Os dois extremos foram os melhores jogadores da Naval, em Alvalade. Estiveram muito activos sobretudo na fase inicial, quando a equipa da Figueira da Foz conseguiu superiorizar-se ao Sporting na batalha do meio-campo. Marinho esteve um pouco melhor que o colega, até por ter feito a assistência para o golo de Marcelinho, depois de aproveitar um mau passe de Veloso.