João Moutinho

Esteve nos dois golos leoninos. Fez o passe para Liedson e depois apontou o canto que resultou no golo de Derlei. O lance do golo do Levezinho retrata, de certa forma, a exibição do capitão: combativa. O médio trabalhou e correu muito, sem desistir de disputar os lances. O capitão, que atingiu os 200 jogos oficiais pelo Sporting, quase marcou, aos 72 minutos, depois de cruzamento de Derlei.

Liedson e Derlei

A dupla atacante revelou entender-se bem desde o primeiro minuto. Mesmo nos períodos em que o jogo esteve menos bonito, e em que se falharam muitos passes, os dois avançados deram nas vistas. Quer por recuarem para recuperar a bola, quer por se movimentarem bem entre os defesas contrários, criando desequilíbrios. O «Levezinho» abriu o marcador, aos oito minutos, com um remate cruzado da direita. É certo que Coelho deu «uma mãozinha», ficando mal na fotografia, mas a verdade é que o camisola 31 justificou o golo apontado. Derlei fez o 2-0, conseguindo antecipar-se bem aos jogadores pacenses. Esteve próximo de bisar. Foi quase... Faltou o tal quase.

Bruno Pereirinha

Vukcevic recuperou de gripe, mas Paulo Bento manteve a aposta no jovem Pereirinha. E bem. O número 25 leonino entrou discreto, mas, com o tempo, acabou por soltar-se. O médio aproveitou o adiantamento de Jorginho para furar pela direita. Sobretudo na primeira parte, conseguiu fazer uns quantos cruzamentos perigosos. Os remates foram bem medidos, faltou «apenas» que os companheiros tivessem conseguido finalizar.

Danielson

Contou com a ajuda de Ferreira para fechar bem o seu flanco e ainda conseguiu ajudar os centrais. Teve algumas boas intervenções, nomeadamente aos 31 minutos, quando teve de cortar um cruzamento «com selo de golo» de Bruno Pereirinha. Liedson estava logo atrás do defesa, pronto para facturar, mas o lateral mostrou-se seguro.

Dedé

Dentro de uma exibição colectiva apagada, Dedé mostrou dedicação e capacidade de trabalho. O médio não esteve particularmente bem, mas tentou travar os avanços dos adversários e servir os companheiros. Nem sempre correu como queria, mas tentou.

Festa nas bancadas

Os responsáveis leoninos baixaram o preço dos bilhetes para as mulheres e as vozes femininas chegaram a destacar-se (uma forma de assinalar o Dia internacional da mulher que se celebra este domingo). O jogo começou às 19 horas, quando a claridade ainda invadia o Estádio José Alvalade, e o público não deixou de comparecer. Aos poucos, acordou e, durante a segunda metade, fez a festa nas bancadas. Os adeptos cantaram, ergueram os braços e festejaram. Foi bonito.