Confira a FICHA DO JOGO e as notas dos jogadores

Ao primeiro apito de Bruno Paixão, o Sporting criou a primeira oportunidade da partida, com Grimi a surgir destacado a conquistar o primeiro pontapé de canto. Estava dado o mote para o ritmo elevado que a equipa de Carvalhal procurava impor no arranque da partida, com uma equipa mais ofensiva, com Saleiro ao lado de Liedson. Com uma forte pressão sobre a bola, movimentações ao primeiro toque, os leões apanharam os minhotos a frio, obrigando o adversário a cometer erros atrás de erros. Mas foi com um erro de Rodrigo Pereira, auxiliar de Bruno Paixão, que o Sporting chegou ao primeiro golo, com Grimi, em posição irregular, a desviar de cabeça, um livre de Miguel Veloso.

Sem tempo para respirar, o Sporting voltou a marcar no minuto seguinte, na sequência de um mau atraso de Gustavo Lazaretti que permitiu a Liedson entrar na área e bater Nilson com um remate em arco. Tudo saia bem ao Sporting, com o Vitória completamente perdido em campo, e o terceiro só não chegou, quatro minutos depois, porque Rodrigo Pereira voltou a errar, ao levantar a bandeirola, numa lance em que Saleiro tinha partido de posição regular. A equipa de Carvalhal tirou, depois, o pé do acelerador, recuou no terreno e permitiu que o Vitória levantasse a cabeça. A equipa de Paulo Sérgio tinha, agora, mais bola, mas deixou-se surpreender mais uma vez, num rápido contra-ataque, que permitiu a Saleiro voltar a marcar, desta vez a contar, com Lazaretti a ficar mal na fotografia mais uma vez.

Um golpe duro para a equipa de Paulo Sérgio que vinha de três vitórias e a há quatro jogos que não sofria golos. Roberto ainda teve uma oportunidade flagrante para reduzir, depois de um desentendimento entre Polga e Patrício, e, pelo meio, Nuno Assis atirou à queima-roupa contra o braço do central brasileiro. A verdade é que o Vitória demorava a reagir em campo e Paulo Sérgio teve de agitar desde o banco, prescindindo de um médio (João Alves) para lançar mais um avançado (Douglas). Mas o leão estava confiante e chegou ao intervalo na mó de cima, com mais duas oportundiades flagrantes do levezinho.

Acabar em sofrimento

Os leões entraram para a segunda parte já em ritmo de gestão, certamente a poupar forças para o segundo embate com o At. Madrid, diante de um Vitória que continuava a não dar muitos problemas. A verdade é que a quebra de velocidade adormeceu o leão que, de facilidade em facilidade, acabou por sofrer um golo de bola parada, com Valdomiro a saltar sem oposição para desviar um canto de Desmarets.

O Sporting respondeu de imediato, com um remate de Izmailov, mas já não conseguiu recuperar a dinâmica inicial. Paulo Sérgio ainda arriscou mais com a entrada de Marquinho e o Vitória esteve perto de voltar a marcar, primeiro num pontapé acrobático de Douglas a obrigar Patrício a grande defesa, depois num livre de Andrezinho que obrigou o guarda-redes dos leões a brilhar de novo com um desvio para o poste (!).

O Sporting acabou por tirar dividendos da forte entrada inicial para ganhar fôlego na Liga antes do decisivo jogo com o At. Madrid para a Liga Europa.