Eduardo Quaresma, jovem central do Sporting, manifestou vontade de agarrar a oportunidade que lhe foi concedida com a chamada ao plantel principal e destacou o francês Jérémy Mathieu como o «maior exemplo» a seguir.

«A pré-época com a equipa A ajudou-me e motivou-me. Reconheceram o meu trabalho ao longo destes anos. Procuro trabalhar ao máximo para ser mais vezes chamado aqui e, um dia, poder estrear-me na equipa A», disse o central, de 18 anos, em declarações à Sporting TV.

Esta época, Eduardo Quaresma tem vindo a jogar na equipa de sub-23, pela qual disputou 23 jogos, antes de ser chamado pelo treinador Rúben Amorim a integrar os trabalhos da equipa principal, que prepara o regresso da Liga, suspensa devido à pandemia de covid-19.

«Nos treinos, [Rúben Amorim] exige o máximo de nós. É um grande mister, que vem ajudar o Sporting. É bom ter um mister que aposta na formação. Mas não basta chegar aqui, temos de continuar a trabalhar, para que, mais tarde, possamos fazer alguns jogos na equipa A», salientou.

Quaresma afirmou que o plantel sénior «aceita muito bem os jovens da formação» e revelou que Coates, Mathieu, Luís Neto e Tiago Ilori são «uma referência», e que o têm «ajudado muito em termos posicionais e de concentração».

Contudo, há um elemento que o jovem destaca naquele quarteto: «O Mathieu é o meu maior exemplo. Ele é incrível. Quando o vi pela primeira vez no treino, pensei que não era bem real, que não estava ali. Cada vez gosto mais de o ver jogar e de treinar com ele».