Em época de pandemia, e com o futebol fechado aos adeptos, as contas dos três grandes apresentam naturalmente a fatura da crise. A exceção acaba por ser o FC Porto, que conseguiu até aumentar a rubrica de rendimentos operacionais (excluindo ganhos com transações de jogadores).

Ora para que isto fosse possível, houve um fator decisivo: a Liga dos Campeões. A formação portista foi a única a conseguir entrar na prova milionária e, mais do que isso, a conseguir até passar à fase eliminatória, o que lhe valeu rendimentos com as provas da UEFA de 55 milhões.

Nesse sentido, os rendimentos operacionais da SAD do FC Porto foram claramente superiores aos dos rivais, embora nos três casos tenha havido uma diminuição até valores praticamente residuais em rubricas como venda de bilhetes, merchandising e receitas com os dias de jogo.

Refira-se que, provavelmente por isso, o FC Porto foi o único que se deu ao luxo de manter os gastos operacionais em linha com o que fez na época passada: recorde-se que a SAD apresentou um lucro de 34 milhões. Sporting cortou 14 milhões na despesa e Benfica cortou oito milhões.

RENDIMENTOS OPERACIONAIS SEM TRANSAÇÕES DE JOGADORES

Sporting: 32,1 milhões de euros (há um ano 43,5 milhões)

FC Porto: 94,7 milhões de euros (há um ano 52,4,867 milhões)

Benfica: 53,5 milhões de euros (há um ano 101,9 milhões)

GASTOS OPERACIONAIS SEM TRANSAÇÕES DE JOGADORES

Sporting: 45,4 milhões de euros (há um ano 59,6 milhões)

FC Porto: 76,4 milhões de euros (há um ano 75,3 milhões)

Benfica: 85,7 milhões de euros (há um ano 93,6 milhões)

O FC Porto, mais uma vez impulsionado pelo forte encaixe proveniente da Liga dos Campeões, foi o clube que mais aumentou os gastos com pessoal. A SAD portista acrescentou quase oito milhões de euros à folha de pagamentos, o que é de facto substancial em ano de crise.

O mais curioso é que não foi o único. O Benfica, apesar de não ter entrado na Champions e de ter tido fortes quebras em várias receitas provocadas pela pandemia, aumentou também os gastos com pessoal: pagava 46 milhões de euros, neste primeiro semestre pagou quase 50 milhões.

Já o Sporting fez o caminho inverso, o que não é uma novidade. A SAD leonina há vários anos que iniciou uma política de controlos de custos, que lhe permitiu poupar 16 milhões de euros em três temporadas. Neste primeiro semestre da época poupou seis milhões em relação a ano passado.

Já no que diz respeito às remunerações dos órgãos sociais, o FC Porto vive num mundo paralelo: a SAD portista pagou em seis meses 1,2 milhões de euros à administração, sendo que os rivais pagaram 248 mil euros (o Benfica, que tem dois administradores) e 217 mil euros (o Sporting).

GASTOS COM O PESSOAL 

Sporting: 29,1 milhões de euros (há um ano 35 milhões)

FC Porto: 51,2 milhões de euros (há um ano 43,5 milhões)

Benfica: 49,6 milhões de euros (há um ano 46 milhões)

REMUNERAÇÕES ÓRGÃOS PESSOAIS 

Sporting: 217 mil de euros (há um ano 213 mil)

FC Porto: 1,2 milhões euros (há um ano 1,2 milhões)

Benfica: 248 mil euros (há um ano, 288 mil euros)

As receitas correntes sofreram também o efeito da pandemia, sobretudo as receitas de bilheteira, que foram praticamente residuais: o FC Porto declarou 40 mil euros, o Benfica 172 mil euros e o Sporting 268 mil euros, quando no semestre do ano passado o Benfica tinha tido, por exemplo, 14,3 milhões.

Já no que diz respeito a direitos televisivos, houve um pequeno aumento de receita para os três clubes, o que se justifica por uma razão: a paragem do campeonato provocado pela covid-19 obrigou a que todos os clubes fizessem três jogos em casa já no calendário da nova temporada.

DIREITOS TELEVISIVOS 

Sporting: 16,9 milhões de euros (há um ano 13 milhões)

FC Porto: 22,5 milhões de euros (há um ano 18,1 milhões)

Benfica: 27,4 milhões de euros (há um ano 22,2 milhões)

BILHETEIRA 

Sporting: 0,268 milhões de euros (há um ano 7,4 milhões)

FC Porto: 0,04 milhões de euros (há um ano 4,2 milhões)

Benfica: 0,172 milhões de euros (há um ano 14,3 milhões)

PATROCÍNIOS E PUBLICIDADE 

Sporting: 8,7 milhões de euros (há um ano 7,3 milhões)

FC Porto: 7,6 milhões de euros (há um ano 11,9 milhões)

Benfica: 16,2 milhões de euros (há um ano 17,3 milhões)

É aqui que o FC Porto cava o fosso para os rivais: nos rendimentos obtidos com a participação nas competições europeias. A entrada na Liga dos Campeões, a performance na fase de grupos e o apuramento para os oitavos de final valeram à SAD portista 55,8 milhões de euros.

Bem acima dos 9,3 milhões ganhos na época passada com a Liga Europa e bem acima dos 9,5 milhões de euros ganhos neste primeiro semestre pelo Benfica também com a Liga Europa. O Sporting, esse, nem chegou a entrar na fase de grupos e por isso saiu com míseros 277 mil euros.

COMPETIÇÕES EUROPEIAS 

Sporting: 0,277 milhões de euros (há um ano 8,5 milhões)

FC Porto: 55,8 milhões de euros (há um ano 9,3 milhões)

Benfica: 9,5 milhões de euros (há um ano 47,9 milhões)

No que se refere a dívidas com empréstimos, sejam eles correntes ou não correntes, vale a pena referir que o FC Porto tem uma dívida bancária superior aos dois rivais juntos. A SAD portista aumentou em seis meses a dívida em 53 milhões, tendo agora um total de dívida de 307 milhões.

O Benfica também aumentou a dívida bancária, neste caso em 47 milhões de euros, mas tem um total de financiamentos por pagar bem inferior, na ordem dos 145 milhões. Já o Sporting é o clube que tem uma menor dívida bancária, ligeiramente inferior a 123 milhões de euros.

DÍVIDAS COM EMPRÉSTIMOS

Sporting: 122,8 milhões de euros (há seis meses 126, 8 milhões)

FC Porto: 307,3 milhões de euros (há seis meses 254,2 milhões)

Benfica: 145,5 milhões de euros (há seis meses 98 milhões)

A maior conclusão a tirar da análise ao ativo e passivo dos três grandes é que só o Benfica se safa: a SAD encarnada é a única que tem capitais próprios positivos. Sporting e FC Porto têm um passivo superior ao ativo: no caso do Sporting em 17 milhões e no caso do FC Porto em 117 milhões.

O Benfica foi curiosamente o clube que mais aumentou o passivo nos últimos seis meses, em cerca de cem milhões, para um total de 425 milhões, mas aumentou também fortemente o ativo, em mais de 107 milhões de euros, para 594 milhões, pelo que tem capitais próprios positivos em 170 milhões.

ATIVO 

Sporting: 274,4 milhões de euros (há seis meses 288,2 milhões)

FC Porto: 380,3 milhões de euros (há seis meses 300, 7 milhões)

Benfica: 594,4 milhões de euros (há seis meses 487 milhões)

PASSIVO 

Sporting: 291,7 milhões de euros (há seis meses 298,6 milhões)

FC Porto: 497,3 milhões de euros (há seis meses 451,8 milhões)

Benfica: 425 milhões de euros (há seis meses 325,9 milhões)