O Sporting precisa apenas de um empate esta quarta-feira frente ao Lille para garantir, desde já, a qualificação para a próxima fase da Liga Europa, mas Paulo Sérgio garante que o Sporting vai entrar em campo para vencer. O empate com o F.C. Porto «já é passado» e a equipa vai crescer.

«É um jogo diferente, portanto aquilo que temos de levar para o jogo é aquilo que fazemos ao fim-de-semana para todos os jogos, uma intensidade muito forte, motivação e querer muito fortes, depois em termos tácticos as coisas são diferentes. O Sporting vai procurar vencer, como tem feito sempre. O Lille é uma equipa muito boa, aliás os três adversários disputam a liderança nos respectivos campeonatos. Quando jogámos com o Levski, o Levski era líder, o Gent é segundo na Bélgica e o Lille também era segundo. A ideia da equipa do Sporting quando entra em campo é sempre procurar vencer. Não vamos jogar para guardar ponto nenhum, é essa a nossa filosofia, a nossa forma de encarar a competição, não tem qualquer alteração», começou por destacar na antevisão do jogo desta quarta-feira.

Quanto ao onze que vai entrar em campo, Paulo Sérgio fechou-se em copas, para não dar dicas ao adversário. «Vamos procurar colocar aqueles que estão mais aptos para amanhã. Pode ser o mesmo onze que jogou contra o F.C. Porto ou podemos fazer algumas alterações», limitou-se a adiantar.

Tanto no jogo com o Gent como no final do jogo com o F.C. Porto, Paulo Sérgio apontou erros à equipa. Erros que quer ver anulados ou corrigidos já esta quarta-feira. «Temos cometido erros pontuais que, dentro de exibições conseguidas, nos têm penalizado bastante. E este [frente ao F.C. porto] não fugiu à regra. Quer a forma como consentimos o golo, que é um erro pontual de uma exibição conseguida, quer como no facto de, em superioridade, não reagirmos como devíamos. É um trabalho que há que insistir, continuar para ir eliminado esses detalhes», comentou.

A conversa voltou ainda ao clássico com o F.C. Porto. Questionado sobre se a boa exibição dos «leões» teria a ver com a opções pelos jogadores mais experientes (Pedro Mendes, Maniche e Liedson), o técnico deixou uma observação: «Ninguém se lembrou que foi a primeira vez que pude utilizar os três em conjunto. Quando o Pedro [Mendes] voltou, o Maniche estava castigado», referiu.

A verdade é que agora o Sporting tem mais opções. «A equipa tem apresentado competências, mas tem cometido erros que nos têm saído caro. Acredito que continuamos num processo evolutivo. Neste momento temos melhores dores de cabeça para construir um onze ou eleger os dezoito. Temos um Sporting mais forte e continuo a dizer que o melhor está para vir», acrescentou.