Ruben Amorim, treinador do Sporting, em declarações aos jornalistas após o dérbi com o Benfica em Alvalade:

«Fomos sempre a equipa mais perto do golo e fomos premiados no fim porque insistimos até ao fim. Aqui ou ali podíamos ter criado mais perigo na linha de três do Benfica, muito separada. Aqui e ali decidimos mal, ou demos de calcanhar, o que já nos aconteceu.

Fomos um justo vencedor, fomos a equipa que mais procurou vencer e que esteve mais perto do golo.»

[O que tem a dizer sobre a mudança de identidade do Benfica para jogar contra o Sporting? É o reconhecimento do valor do Sporting?]

«Essa ideia vem muito dos resultados. Também já ouvi que não temos um plano B para adaptar a certas equipas.

Se o Benfica ganhasse, se calhar perguntava-me sobre a adaptação de outro clube que tem plano A e B. Não é a primeira equipa que se adapta ao nosso sistema. Nós temos esta ideia, não vamos mudar.

Não vejo isso como reconhecimento de nada. Vejo isso como uma ideia do treinador adversário que tenta ganhar o jogo. E por isso muda o seu sistema. Ainda não mudámos, mas não sabemos o dia de amanhã. Não vejo isso como um elogio. Vejo-o como uma ideia de um treinador, que é diferente da nossa.»