Cinco golos nos últimos quatro jogos. Este registo faz de Ricky van Wolfswinkel o principal protagonista da reacção sportinguista ao mau início de época, mas está longe de surpreender quem o conhece bem. Aad de Mos, técnico que lançou o jovem avançado no futebol profissional, não hesita em compará-lo a Marco van Basten, jogador que também «apadrinhou». Um elogio gigante, de quem tem autoridade mais do que suficiente para o fazer.

O dia 5 de Abril de 2008 já está algo perdido no baú das memórias, mas Aad de Mos não esquece aquilo que viu em Wolfswinkel, então com apenas 19 anos. «É um jogador muito habilidoso. Remata bem com os dois pés, sabe posicionar-se bem e também cabeceia bem. Não se importa de ter um defesa forte encostado a ele, pois movimenta-se bem nas costas. Tem um estilo parecido ao de Van Basten, jogador que também lancei», disse o técnico ao Maisfutebol, referindo-se ao ano de 1982, quando orientava o Ajax.

Aad de Mos saiu do Vitesse poucos dias depois da estreia de Wolfswinkel, frente ao Sparta de Roterdão, mas não deixou de acompanhar o trajecto do jovem avançado, que curiosamente nasceu na mesma província que Van Basten (Utrecht). Os golos pelo Sporting não surpreendem o técnico holandês, que aprova a mudança para Portugal. «É um jogador com uma atitude muito boa, muito profissional. É bom para ele estar numa Liga mais competitiva, para voltar à selecção o mais rápido possível. Tem uma internacionalização, e vai encontrar o seu caminho», disse.

O técnico de 64 anos acredita mesmo que o jogador do Sporting pode ser o titular da selecção holandesa pós-Euro 2012. «Os nossos avançados já têm alguma idade. Se não se lesionar, e se estiver bem no Sporting, vai ser o futuro avançado da selecção. Com confiança e tempo, pode chegar a campeonatos como Inglaterra, Itália ou Espanha. No Utrecht marcava sempre na Liga Europa. É um goleador típico», defendeu.

Elogios também para Schaars

Na conversa com o Maisfutebol, Aad de Mos falou também de Stijn Schaars, compatriota que não treinou, mas ao qual deixa elogios: «É um bom esquerdino, organizador. É bom no passe longo e curto. É muito inteligente, também. Uma equipa que queira equilíbrio precisa de um esquerdino como ele. Tem muita concorrência na selecção, como é o caso do Strootman, que foi meu jogador no Sparta de Roterdão (actualmente no PSV), mas deve estar nas opções, nem que seja como suplente.»