Resumo do jogo entre os «visitados» e o Iasi







«Gigi» Becali





«Como seria com Benfica ou FC Porto?»

Maisfutebol


Fernando Varela, ao centro






A camisola alternativa, com o emblema tapado

Fernando Varela não cai no ridículo de dizer que é adepto do Steaua desde pequenino, mas garante estar identificado com o sentimento de orfandade que atingiu os torcedores no último domingo: «Todos os clubes por onde passo me dão alguma coisa, e eu tenho de identificar-me com a sua história e com as pessoas, para poder entregar-me a cem por cento. Imagina o que é Benfica ou FC Porto perderem o seu nome de um dia para o outro? De certeza que ia haver manifestações. Foi mais ou menos isso que se passou aqui», conta.

Ainda assim, o acordo assinado esta segunda-feira entre a administração do clube e o Ministério da Defesa garante tréguas até final do ano: nos próximos dois jogos – com o Dínamo Kiev, na quinta-feira, para a Liga Europa, e novamente com o Iasi, no domingo, para a Taça da Liga – o Steaua vai poder exibir o nome e as cores tradicionais. Depois, segue-se a pausa de inverno. A competição só recomeça em fevereiro e Varela acredita que nessa altura a história estará resolvida, provavelmente a troco de uma compensação financeira: «Eles vão fazer um esforço e acredito que o clube vai recuperar rapidamente toda a identidade, mesmo que tenham de pagar alguma coisa ao Ministério. Ou então, vai ser preciso arranjar-lhe outro nome, que é a outra hipótese comentada nesta altura», revela.



Para Varela, porém, esse regresso à normalidade só surgirá depois de uma grande aventura: o regresso à Taça de África das Nações, a CAN, que decorre entre 17 de janeiro e 8 de fevereiro, na Guiné Equatorial. Cabo Verde brilhou na estreia, chegando aos quartos de final, com Fernando Varela entre os titulares.

Desta vez, depois de mais uma qualificação brilhante da seleção agora orientada por Rui Águas, o central espera repetir a presença na maior competição do futebol africano: «Estou a trabalhar para isso e se tudo correr normalmente espero fazer parte dos 23. Creio que o estágio arranca no dia 5, em Portugal, e queremos muito dar mais uma alegria ao povo caboverdiano, em especial com tudo o que tem acontecido na ilha do Fogo, que é uma situação que nos toca muito, e que vemos ao longe com grande preocupação», lembra.

Quando Varela voltar à Roménia, talvez já o clube anteriormente conhecido como Steaua tenha recuperado o direito ao nome. E possa voltar a conjugar no presente as glórias do passado, que tiveram ponto mais alto numa célebre noite de 7 de maio de 1986, em Sevilha: