Continua goleadora a seleção sub-21 portuguesa. Depois de vencer a congénere da Noruega por cinco bolas a uma, no primeiro jogo de qualificação para o Europeu da República Checa em 2015, o conjunto orientado por Rui Jorge voltou a confirmar credenciais, vencendo desta feita a Polónia com mais um resultado expressivo (6-1).

Rui Jorge operou sete operações no seu conjunto, comparativamente com o jogo disputado em Barcelos na última semana. Apenas quatro jogadores se mantiveram o seu lugar no onze, optando o técnico luso por dar minutos aos jogadores menos utilizados.

Para além do triunfo, que é sempre importante mesmo tratando-se de um jogo particular, o responsável técnico pela seleção sub-21, ganhou dores de cabeça para o futuro.

Máquina goleadora

É no ataque que Portugal mais impressiona. Em dois jogos apontou onze golos demonstrando ser uma autêntica máquina goleadora. Seis golos, apontados por seis jogadores, de todas as formas e feitios dotando o sector mais adiantado da equipa lusa de uma grande versatilidade.

André Gomes abriu o ativo ao minuto dezoito, depois de uma boa jogada ofensiva delineada no lado direito, abrindo caminho para a goleada portuguesa. Seguiram-se Ricardo Pereira, Ricardo Esgaio, Betinho, Rafa e Lucas João para fechar a goleada com golos para todos os gostos.

O golo da praxe sofrido

Pelo meio, quando Portugal vencia por três bolas a zero a Polónia lá conseguiu apontar o tento de honra, trazendo ao de cima uma das fragilidades desta equipa de Rui Jorge. Sofrer golos parece ser uma das sinas deste grupo de jogadores.

Foi assim diante da Noruega, voltou a acontecer com a Polónio quando o jogo estava controlado. Przybylko, possante avançado da seleção da Polónia foi mais forte do que toda agente na área e evidenciou aquele que é o «calcanhar de Aquiles» de Portugal.

Portugal volta a jogar dentro de um mês, com a congénere de Israel em jogo a contar para o apuramento para o Campeonato da Europa. Israel goleou na primeira jornada o Azerbaijão pelo que lidera o Grupo 8.