Bruno de Carvalho, na tomada de posso como 42º presidente do Sporting, falou essencialmente para os sócios, prometendo um «clube forte e ganhador», mas também falou para fora, garantindo que o Sporting vai «fazer ouvir a sua voz» junto da Liga e Federação e exigir respeito da parte dos adversários.

O novo presidente começou por evocar um sonho, fazendo lembrar o famoso discurso de Martin Luther King. «O Sporting nasceu de um sonho de alguém que se lembrou um dia de fazer um clube desta dimensão que tanto nos orgulha. Também tive um sonho no antigo Estádio de Alvalade e, passado 35 anos, é uma honra estar aqui como presidente do Sporting», começou por destacar antes da parte mais formal do discurso que encerrou a cerimónia da tomada de posse dos novos órgãos sociais.

«Todos os membros dos órgãos sociais eleitos vão dedicar-se de corpo e alma ao nosso clube, com o empenho, competência e rigor que necessitamos. Temos um árduo trabalho pela frente, mas encaramo-lo de forma consciente e com alma, garra e determinação de leões que é o que realmente somos», prosseguiu.

O novo dirigente agradeceu aos adversários eleitorais pela forma «elevada» como decorreram as eleições e falou numa «mudança positiva». «Temos de trabalhar para construir, temos de construir para ser sustentáveis e assim iniciarmos a mudança positiva e o desenvolvimento que todos ambicionamos e que necessitamos e que é nosso por direito», destacou.

Bruno de Carvalho anunciou depois que quer recuperar o Sporting como clube «eclético». «A nossa formação de excelência está ao serviço de todas as seleções de diferentes modalidades. O desporto nacional necessita de um Sporting forte, ganhador, impulsionador de novos paradigmas. O Sporting iniciará, hoje, um caminho próprio, que honre e dignifique o historial do clube e do desporto nacional».

O novo dirigente falou depois também para fora. «Comprometemo-nos a ser um parceiro atuante e com voz nas diversas instituições, nomeadamente nas federações e nas ligas. Faremos ouvir a nossa voz e exigiremos o respeito que merecemos no panorama desportivo nacional. O Sporting quer ter as melhores relações institucionais com todos os clubes, mas numa base de respeito mútuo», salientou.

A finalizar o primeiro discurso, o novo presidente dirigiu-se aos sócios. «A força que nos deram para iniciar este mandato é importante para que, interna e externamente, todos percebam que o Sporting está vivo e com vontade de voltar a demonstrar a sua garra e a sua força», destacou ainda.

Leia também:

O que diz Bruno de Carvalho da situação de Inácio?

Bruno de Carvalho: «Jesualdo? Está tudo em aberto»

Sócios interrompem cerimónia, Bruno de Carvalho abre-lhes a porta