Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, em declarações na sala de imprensa do Estádio do Dragão, após a vitória por 4-2, em jogo da 2.ª jornada do grupo C da Taça da Liga:

Trabalho com eles, sei o que fazem nos treinos. Tenho um discurso para dentro do grupo e não posso ter dois, ou seja, um para fora e outro para dentro. Sou coerente e o que faço é em função do que digo. Se digo que tenho confiança em todos, não posso depois chegar a um jogo importante da taça da liga…. este era um jogo importante porque se não ganhássemos ficava mais difícil chegar à final four. Não foi arriscar, foi confiar nos jogadores que não têm tantos minutos. O Varzim é uma equipa competitiva, combativa e que normalmente faz bons campeonatos. Foi uma prova de confiança que tenho na equipa.»

[Que avaliação faz dos jogadores que jogaram]:

«Acontece em todos os jogos. Há jogadores que estão melhores do que outros. Não gostei de uma ou outra prestação, isso é claro. Não foi por falta de vontade deles. Sei que uma coisa é treinar, por muito bem que se treine, e outra é jogar. O jogo é mais difícil mesmo contra uma equipa de um escalão inferior. O que me deixa menos contente é quando a aplicação e a vontade não está lá. Isso não perdoo. Sinto que um ou outro jogador poderia ter feito mais.»

Não gosto de sofrer golos. Gosto mais de ganhar por 2-0 do que por 4-2. Gosto que a equipa seja consistente e que permita pouco ao adversário. Em três remates o Varzim fez dois golos, sobretudo por erros individuais. Dentro da organização defensiva, podem surgir erros individuais e surgem os golos. Faz parte do jogo.»

[Entrada de Óliver]:

«Não estou de acordo quando diz que fui gradualmente arriscando. Arrisquei ao meter o Hernâni a lateral. Acabei o jogo com dois alas nas laterais e dois centrais que também podem jogar a médios. Mexi conforme o que senti que o jogo pedia. Senti que era importante depois do 2-1 dar mais qualidade e ter mais bola onde precisávamos para chegar aos corredores laterais.»