«O 0-3 do jogo da primeira mão é um resultado que não correspondeu ao jogo que fizemos no «Marassi» (estádio da Samp). Hoje provámos que podíamos ter conseguido outro resultado e vencemos com mérito. Foi um jogo em que uma equipa jogou para vencer e outra que procurou perder por menos de três golos. A equipa adversária jogou com falta de fair-play, com o árbitro a favor, mas está na final. Não vou desejar-lhes felicidades, mas prevejo que vão fazer uma boa final», começou por destacar o técnico português aos microfones da RAI, não poupando palavras nos elogios ao esforço dos seus jogadores.

No final da partida, o treinador português correu na direcção do árbitro e os jornalistas italianos quiseram saber o que lhe foi dizer. «Não me referi ao lance do penlaty sobre o Materazzi porque uma grande penalidade é um detalhe do jogo que pode escapar a um árbitro, mas a atitude geral foi sempre contra uma equipa e a favor de outra. Não me parece justo que tenha brincado com o esforço de grandes homens», contou.

Uma derrota que afasta o Inter da «dobradinha» italiana, mas que dá mais força a Mourinho na luta pelo principal título da Série A do campeonato italiano. «Agora quero levar o Scudetto para San Siro porque nós e os nossos adeptos o merecem. Faltam oito ou nove pontos, mas uma equipa com este espírito não deve ter medo de ninguém», acrescentou.

O presidente do Inter Massimo Moratti deu os parabéns a Mourinho, à equipa e aos adeptos. «O Inter jogou muito bem, foi um belo jogo que podia ter acabado com um marcador completamente diferente. Estou de acordo com Ivan Córdoba: o Inter esta noite honrou a Taça de Itália. Penso que mais um golo podia ter virado a eliminatória. Os jogadores merecem o nosso agradecimento pelo que jogaram e o treinador também tem mérito porque, com um campeonato que ainda não está decidido, não poupou ninguém», destacou.